domingo, 21 de abril de 2013

2a. Média Maraton del Glaciar - 6/4/2013



Foram quase 300 finalistas. 154 nos 21km e 112 nos 10 km.

Dos 154 finalistas da meia maratona, apenas 12 conseguiram ficar ATRÁS de mim...

Não, não travei por causa do frio. Também não me lesionei durante a prova, que tampouco foi extremamente difícil para justificar meu pior tempo em uma prova de 21 km.

Mas, por diversas vezes enquanto corria, tentava me lembrar se em alguma outra corrida eu me senti tão feliz!

Claro que a primeira meia maratona concluída, assim como os primeiros 42 km, deixaram em mim sentimentos tão profundos que nunca serão esquecidos. Mas foram diferentes. Sentimento de guerra vencida. De objetivo concluído.

Na 2ª. Meia Maratona do Glaciar, ocorrida no dia 6 de abril de 2013, no Parque Nacional Los Glaciares, na cidade de El Calafate, Argentina, o sentimento foi de felicidade, de êxtase mesmo, diante de tanta beleza e daquele sentimento que a gente tem quando consegue realizar algo tão sonhado." Belisca, belisca.  Não é que eu tô aqui mesmo?!"

Esses foram os sentimentos experimentados por mim.
As baterias do meu celular e da minha câmera fotográfica, que chegaram ao final da prova no vermelho, comprovaram meu deslumbramento. Foram várias fotos e vídeos. Simplesmente não tinha como eu correr alheia a tudo aquilo que me cercava.





Havia poucos inscritos, e desses, quase metade eram brasileiros. Foi realmente uma festa verde amarela.

Vamos à prova:

A entrega do kit, no dia anterior, foi no Hotel Álamos.
Tudo muito organizado, kit com camiseta, chip e uma ótima meia de compressão.



Lá mesmo pagávamos a entrada no Parque (que não é incluída na inscrição), de 90,00 pesos argentinos (R$ 35,00 ).
Depois, um breve congresso técnico, com explicações sobre a prova, o parque, principalmente sobre o clima e a roupa que deveríamos usar para correr.



Me preocupei de verdade quando o organizador falou que devíamos usar bonés para, caso nevasse, a aba protegesse nossos olhos dos flocos de neve. Eita!




No dia seguinte, novamente em frente ao Hotel Álamo, a partir das 8 horas da manhã, com o sol ainda nascendo, os ônibus que nos levariam para o parque estavam nos esperando, assim como a van contratada para levar os acompanhantes dos corredores.


Na saída do hotel. Ainda escuro.

Toda paramentada, entrei no meu ônibus com mais dois cearenses, o casal Alexandre e Sara, que já havia encontrado no vôo para Calafate no dia anterior.

Da cidade para o parque são 80 km. 40 até a entrada e mais 40 já dentro do parque, na estrada onde iríamos correr.


Percurso das provas
 

A paisagem da janela do ônibus. Arco íris para nos saudar



Paisagem de El Calafate. Lago Argentino



Logo ao chegar, me deslumbro com o glaciar Perito Moreno, o mesmo que me encantou através de fotos e que me fez enfrentar o medo de correr no frio.
Lindo, imponente, majestoso!
Ainda mais lindo que nas fotos ele se materializou ali na minha frente.




A essa hora os corredores já estavam aquecendo.


Aquecimento. Frio e chuva.

Frio, em torno de 7oC, mas devido à chuva e ao vento, com certeza a sensação térmica era de menos.
Dúvida: vou mesmo com todas as roupas que estava? Vou. Melhor sentir calor que frio.




Largada pontual às 11 horas.



Chuva fina, o que tornou ainda mais perigosa a ladeira no início da prova, longa e bastante acentuada. 


Descidona perigosa logo na largada


Fui cautelosa e o percurso, um constante tobogã de descidas e subidas, foi revelando-se, a cada curva, mais e mais lindo.








O glaciar aparecia na minha frente a cada minuto. Cada vez mais majestoso. E tome foto! E não é que eu tô aqui mesmo! Lembrava das conversas com meu irmão. Do meu medo de “travar” correndo no frio. Da minha indecisão de participar da prova por conta disso.


Ele: Glaciar Perito Moreno








Só felicidade!


Mas foi tudo perfeito! No começo, senti até um pouco de calor. Mas depois, a roupa que escolhi com tanto cuidado, mostrou que a escolha tinha sido perfeita. Nem calor nem frio. Só felicidade.








A prova foi organizada. A cada 3km tinha posto de água e isotônico. No km 10, fazíamos o retorno.

Pose para foto no retorno dos 21


Visual demais!

Correr aí foi um sonho







Blocos de neve desprendidos do glaciar




Posto de água/isotônico



A corrida é toda no asfalto e, como é dentro do parque, o movimento de carros é pequeno, o que não nos atrapalhou. 




Eu, com minha bandeirinha do Brasil, era sempre saudada.


De tanto me ver tirar fotos, a ciclista não aguentou e ofereceu-se pra bater fotos minhas

Mais poses pra fotos durante a prova....



A chegada foi difícil, pois a descida de 1km do início, estava lá no mesmo local. Pra gente subir...

Na linha de chegada, a faixa era segurada para cada corredor que passasse e eu a “rasguei” completamente em êxtase.













Poucas frutas na chegada, agora com o parque já cheio de turistas. 

Hora de trocar de roupa (que, apesar do frio, estava ensopada de suor), tomar um chocolate quente na lanchonete e, por volta das 14:30 horas pegar o  mesmo ônibus de volta pra cidade.


Chocolate pra aquecer

No percurso de volta, fui sem meus amigos, mas a conversa foi animada, com tanto brasileiro que havia.

À noite, mais uma vez no Hotel Álamo um coquetel de premiação com salgados, doces e vinhos.
A premiação foi verde amarela: 1os. lugares femininos e masculinos nos 21km, 1º. lugar masculino nos 10km e vários pódios por categoria com os brasileiros.


Pódio brasileiro


Agradecimento especial aos guardas do parque


Neris, argentino, feliz com seu 1o. pódio na categoria, Sara, Alexandre e eu

Pra finalizar, acho que não preciso dizer o quanto amei e o quanto essa corrida foi especial pra mim. Ameeeei!
Quem sabe volto..... Com frio e tudo!





Dicas  pra quem for correr a Meia Maratona Del Glaciar:

1-   Como o café da manhã é tomado cedo, no hotel, leve dinheiro ou lanche pra antes e depois da prova. Seu café da manhã provavelmente será às 7h, a largada é às 11 e você só estará de volta à cidade depois  das 16h.

2-   Leve roupas secas para usar depois de correr. Em razão do frio, impossível ficar com suas roupas suadas depois da prova.

3-   Como não tenho hábito de correr em frio, minha grande preocupação foi sobre o que vestir. Então, para quem tem esse mesmo problema meu, relato o que usei: minha meia de sempre + uma meia para frio da Lupo; uma calça de correr comum, dry fit e por  cima uma calça 2ª. pele para corrida da SOLO; uma camisa de mangas longas dry fit e sobre ela uma 2ª. pele para esportistas da CURTLO. E sobre elas um abrigo corta vento/impermeável da TRILHAS E RUMOS (Anorak Storm). Uma bandana para cobrir orelhas e nariz. E luvas. Ah! E o boné (apesar de não ter nevado. Infelizmente...  Àquela altura, seria a glória.)


12 comentários:

Celo disse...

Como é lindo esse lugar. Quando estive aí no ano passado exatamente durante essa prova, nao parei de pensar em vc Lioca. Fico muito feliz que logo no ano seguinte vc conseguiu visitar um dos lugares mais especiais da minha longa viagem.
Tenho tb certeza que vc viu de forma bem mais privilegiada do que eu, que fiz esse percurso de ônibus. Quem sabe um dia nao voltamos pra fazer essa prova juntos? Fica aí a sugestão do seu irmão caçula que cada vez corre mais. Hoje foram mais 6,5 Km . Vamo que vamo. Beijão e parabéns pelo ótimo blog e fotos.

Celo

Lia Campos disse...

Já está topado Marcelo.
Quero mesmo fazer de novo essa prova e voltar à Patagônia para conhecer outros lugares que ficaram "pendentes".
E continua correndo!
beijão
Lia

Anônimo disse...

Visual espetacular, fiquei maravilhada com esse cenário Lia, um dia quero ir tbm, parabéns, cearense vai mesmo aos extremos do sol de rachar a molera ao frio de bater os queixos.
Lorena

Anônimo disse...

Visual espetacular, fiquei maravilhada com esse cenário Lia, um dia quero ir tbm, parabéns, cearense vai mesmo aos extremos do sol de rachar a molera ao frio de bater os queixos.
Lorena

Telma Campos disse...

Blogue excelente, com fotos de babar qualquer cearense. Parabéns pela garra e determinação.
Beijoca.

FLÁVIO (fassisdf@gmail.com) disse...

Oi Lia,
talvez vc não se recorde, mas voltamos juntos no mesmo ônibus e sentei do teu lado. Sou de Brasília e fiquei muito feliz de acessar teu blog. Você relatou de forma muito feliz o que vivemos nesse dia inesquecível. Foi a corrida mais linda da minha vida e provavelmente da vida de todos que ali estiveram. Ano que vem estaremos por lá novamente se Deus quiser e neste ano ainda temos Bariloche. Espero revê-la por lá. Para completar, ainda consegui um 2º lugar na minha categoria, com 1h e 43 minutos. Quando resolver correr aqui em Brasilia, é só me avisar. Parabéns para todos nós e em especial para você.

Lia Campos disse...

Oi Flávio!

Claro que lembro de você!
Como poderia esquecer seus excelentes tempos e de sua história de emagrecimento, tudo em tempo tão recorde e tudo por causa de uma "esnobada". rsrs
Bendita esnobada ora, hein?
Eu estava quietinha no ônibus, ainda pensando na prova, mas estava atenta à conversa de vocês.
Achei mt legal também as histórias de corridas e viagens do carioca/curitibano (Pedro?).
Adoro essas minhas viagens de corrida tanto pelos lugares que conheço como pelas pessoas e suas histórias.
Vamos manter contato sim.
Próximos posts serão sobre os lugares que conheci naquela região abençoada. Dá uma olhada.
E um dia voltarei por lá.
bj

Sara Saraiva disse...

Realmente fazer essa corrida foi um sonho Lia, você conseguiu no seu relato transmitir muitas emoções que também senti durante o percurso!!! É uma corrida imperdível para quem gosta de correr,de viajar e de conhecer locais deslumbrantes e inesquecíveis!

Silvio Gurgel disse...

As fotos são LINDÍSSIMAS e o texto da Lia , MARAVILHOSO! Fiquei deslumbrado ! Qualquer um sente imediatamente a vontade de ir conhecer e curtir tanta beleza. Lembrei de uma frase que fala da imprudência do atleta que se encanta com a beleza do percurso e esquece o objetivo da chegada ...Mas parece que nesta meia maratona isto poderia acontecer com qualquer um , né?

Lia Campos disse...

Obrigada pelos elogios, Sílvio.
Gostei da frase do objetivo esquecido.
Nesse caso, totalmente aplicável!
abs
Lia

JOSÉ AMÂNCIO NETO - CORREDOR DA 3ª IDADE disse...

Lia,
Isto é que é felicidade! Realizar sonhos. Você sabe muito bem realizar seus sonhos. E como sabe! Viajar, correr, fotografar e contar de forma agradável. Uma beleza. Parabéns!

Leila Lima Teixeira disse...

Maravilha, Lia!
Fiquei emocionada em ler o texto e ver as lindas fotos. Parabéns!