domingo, 25 de agosto de 2013

Sábado, dia mundial de longão que não teve longão. Quem nunca?.....



Hoje é sábado. Dia mundial do longão.
Mas pra mim, seria meu longão do sábado. Não foi.
Acordei cedo. Como sempre.
Como sempre fui despertando, fui ao banheiro, despertei de vez mas já senti que não daria.
Dá sim!
Muitas vezes me levanto com sono, vontade de ficar na cama, vontade de voltar a dormir.
Mas vai indo, vai indo..... e passa. Dali a pouco tô correndo e achando ótimo não ter me rendido à preguiça.
E hoje pensei que seria um desses dias.
Vamos tomar café que passa...
Passou não.... Pernas pesando, corpo e cabeça dormindo. Não era simplesmente uma preguiça.
Espera mais um pouquinho.... Vai ver que passa.
Passou nada!
Tentei, mas não lembrei de já ter me sentido algum dia assim. A não ser em caso de doença, claro.
E que tal sair pra correr e, no lugar dos 16 km planejados, fazer somente uns 5?
Aí lembrei de um amigo do meu pai, muito gordo e muito glutão, que o médico passou uma dieta onde o café da manhã era um iogurte e duas bolachas cream cracker.
E ele :”Vou lá sujar meus dentes com isso?”
E eu: vou lá sujar meu longão com 5 km?......
Rendi-me.
Simplesmente não dá. Paciência. Ainda não é o fim do mundo e, como dizem os treinadores, é preciso “ouvir nosso corpo”. Ouço e obedeço resignada.
Ainda tenho o domingo..... Ou deixo pra recomeçar na 2ª. feira?
Se soubesse não teria colocado meu despertador hoje e teria aproveitado a noite de 6ª feira......



PS: hoje, domingo, meu corpo obedeceu tudo direitinho e fez os 16. Glória!

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Lençóis Maranhenses - agosto 2013



Não. Não teve corrida de rua dessa vez.

A ida à São Luís do Maranhão apenas 2 meses depois de ter estado lá para conhecer a cidade e participar da meia maratona Super Ar, foi somente uma coincidência de fatores: promoção imperdível da Gol, conhecer os Lençóis Maranhenses e comemorar o aniversário do Wilkie.

E assim, no dia da chegada, depois de uma rápida passada pelo centro histórico da cidade, assistimos ao belíssimo pôr do sol na orla e jantamos no Cabana do Sol, claro, arroz de cuxá com peixe frito. 


Casa das Tulhas