quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Chapada Diamantina - (dez/ 2015)

Wikipédia: Em geografia, chapada corresponde a uma área reta (plana) localizada no alto de serras. A Chapada Diamantina está situada no centro da Bahia, onde nascem quase todos os rios das bacias do Paraguaçu, do Jacuípe  e do Rio de Contas. Essas correntes de águas brotam nos cumes e deslizam pelo relevo em belos regatos, despencam em borbulhantes cachoeiras e formam transparentes piscinas naturais.

Com essa descrição da Wikipédia, dá pra imaginar o porquê da Chapada Diamantina estar na lista de desejos de 100% das pessoas que gostam de natureza, sendo um dos destino mais procurados no Brasil.
E ela também estava na minha lista, claro.
A ideia era ir na mesma época de uma corrida, no município de Igatu, mas não deu e, aproveitando o recesso, resolvi ir sem corrida mesmo.

De início, a Chapada é enooorme!
E exatamente por isso, raros são os passeios que não necessitam de carro.

Lençóis é a cidade mais procurada para servir de base para os desbravadores e por isso mesmo é a que tem mais pousadas, restaurante e bares.

Distante 430km de Salvador, Lençóis viveu tempos áureos na fase do diamante. Até que os diamantes foram se esgotando, se esgotando e a cidade entrou em crise, quando finalmente em 1985 foi criado o Parque Nacional da Chapada Diamantina para proteger e preservar toda a área e a partir daí a antiga vila dos diamantes transformou-se num dos 10 destinos turísticos mais procurados do Brasil.



sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Alter do Chão, o Caribe Brasileiro - dezembro de 2015

Quando eu falei que iria passar uns dias em Alter do Chão, não lembro de ninguém que não tenha feito aquela cara de “Como??? Onde???”.

Esse distrito da cidade paraense de Santarém, situado às margens do Rio Tapajós e com uma população de menos de 5 mil habitantes é desconhecido por muita gente, inclusive por mim.



quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Belém do Pará, a cidade das mangueiras - Dezembro/2015

Belém do Pará não era desconhecida para mim.




Estive na cidade pela primeira vez há uns bons anos, com meus pais, mas dessa época não guardo muitas lembranças.
Já na segunda vez, em 2001, cheguei inclusive a ter planos de morar uma temporada, permanecendo por lá um mês.
Houve dois fatos muito marcantes dessa época. 

domingo, 13 de dezembro de 2015

Meia Maratona SESC de Belém - 12/12/2015

O objetivo era fazer a tradicional Corrida do Círio, mas como na época eu não pude participar, a etapa de Belém ficou adiada para 2016.
Até que eu soube da Meia Maratona SESC de Revezamento para dezembro.
Não poderia ser melhor!

Com apenas Recife “ticada” em 2015 no meu “Projeto Conhecendo Correndo as Capitais do Brasil” ( ver ), Belém seria minha estreia nas capitais da região norte e ainda por cima eu fecharia o ano completando minha 40ª. meia maratona. Perfeito!
Inscrição baratinha (R$ 30,00) o  kit de camiseta, número de peito, viseira, chip descartável, teve sua entrega tranquila no próprio SESC.

A prova, além dos 21 km individuais, tinha a grande maioria dos corredores inscritos (mais de 3 mil) no revezamento, que podia ser em dupla ou quarteto.

O percurso, apesar da prova ser um revezamento, era de uma volta única e a organização disponibilizou ônibus para levarem os atletas aos postos de troca (nos kms 5, 10 e 16).



domingo, 6 de dezembro de 2015

Treino de Natal das Assessorias - 05/12/2015

O convite do Duda (ou Dudu, como alguns o conhecem) da Limiar Assessoria, foi feito meio de última hora, mas ainda a tempo  de escalar meu amigo Sidney para parceiro e fazer um percurso pro longão de sábado incluindo os 6km pela areia da Praia do Futuro do Treino de Natal das Assessorias.
Saindo do Iguatemi, chegamos na barraca Crocobeach um pouco antes das 6:30 da manhã (horário previsto pra largada do treino) e fiquei surpresa ao me deparar com tantos corredores, todos com sua assessoria, em grupos e em uma grande animação.

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Maratona Caixa de Fortaleza - 31/10/2015

Finalmente chegou o grande dia da 1ª. Maratona de Fortaleza.

Primeira pelo menos desde que eu corro, pois me parece que há bastante tempo, nossa cidade já foi palco de uma prova de 42km.

Apesar da maratona não ser nem de longe meu xodó e, mesmo depois de ter participado de uma em maio, na Argentina ( aqui ) e não estar nos meus planos encarar novamente a distância tão cedo, quando soube que Fortaleza iria estrear nos 42km, resolvi participar. Não queria ficar de fora dessa estreia.
Mas quando foi divulgado que o percurso seria em 8 voltas e à tarde eu, com certa tristeza, desisti.

Correr pra mim está intimamente ligado ao prazer. Tem que ter um percurso legal, que me dê satisfação de estar ali.
Definitivamente, estar rodando em voltas para completar uma corrida não me daria prazer nenhum, muito pelo contrário, seria meio sacrificante e eu não estava a fim de encarar isso nem que fosse pra completar a 1ª. maratona da minha cidade.

Então, já na prorrogação do 2º. tempo, decidi me inscrever sozinha mesmo, como “solo”, mas com o objetivo de correr 21km.
Pensar em fazer as 4 voltas não me agradava muito, mas seria uma novidade para mim. Eu queria participar e, de quebra, completar minha 39ª. meia maratona.
E assim foi.





terça-feira, 27 de outubro de 2015

Challenger 50k Costa do Sol Nascente - Aquiraz-CE 24/10/2015

Não sou corredora de aventura, não sou ultra e muito menos sou “casca grossa”.
Sou corredora de asfalto e é do asfalto que eu gosto.
Mas vez ou outra, por pura curiosidade, resolvo fazer uma corrida diferente e foi com esse objetivo que me inscrevi para o “Challenger 50k Costa do Sol Nascente” , na cidade de Aquiraz, a primeira capital do Ceará.

O que mais me atraiu foi a possibilidade de um percurso bonito e nisso eu não saí frustrada de maneira alguma.

Os 50k de Aquiraz poderiam ser feitos em solo, dupla ou quarteto.

Ao receber o convite do amigo Jarbas para a dupla, só fiz uma condição: eu largo primeiro. Ele aceitou e eu escapei do sol mais forte da segunda metade.... :)

Prova organizada por corredores, na sexta feira a noite foi a entrega do kit em um hotel da Prainha e logo depois aconteceu o congresso técnico, com todas as explicações detalhadas a respeito do que iríamos encontrar no dia seguinte.


Congresso técnico com as explicações do André

terça-feira, 13 de outubro de 2015

Meia Maratona Caixa de Recife - 11/10/2015

Novamente em Recife e desta vez para correr os 21km, já que em março estive na capital pernambucana para participar da tradicional Corrida das Pontes ( aqui ), de 10km, como parte do “Projeto Conhecendo Correndo as Capitais do Brasil”( aqui ).

Não imaginei que, antes mesmo de “fazer” outra capital, iria voltar a Recife, porém, ao saber da Meia Maratona Caixa pelo amigo Jéfferson Malveira, não resisti e fui num bate/volta que valeu a pena não somente pela companhia dele e Julynara, como pela prova que foi muito boa.

Hospedados em Boa Viagem, desta vez os passeios ficaram restritos a caminhadas pela bonita orla, olhando o movimento e aproveitando esses momentos  tão raros que a gente passa assim, sem pressa, sem compromissos, sem horários. Só “charlando” e jogando conversa fora.


Outubro Rosa em Boa Viagem

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Meu sonho era correr....

Ao receber meu kit da Corrida das Assessorias,  me deparei com uma revistinha contendo alguns textos e, dentre eles, me identifiquei de cara com o texto do meu amigo Duda (também conhecido como Dudu)  “ Meu sonho era correr...”.

Pedi-lhe permissão para colocá-lo no blog e acho que assim como eu, vários corredores irão ter essa identificação.

Afinal, penso como ele:
“O corredor mesmo, não é aquele que corre muito tempo ou longas distâncias, tampouco aquele que tem o tênis mais caro... quem corre é o que vence os desafios pessoais, é aquele que mesmo com preguiça, levanta e vai!”

É o que inverte “o desconforto do calor pelo prazer em ver a gota do suor pingando do boné..”

É isso mesmo Duda!
Parabéns pelo texto e nós, apaixonados por esse esporte, vamos continuar correndo e incentivando quem porventura tenha esse mesmo sonho.
Porque eu, um dia o tive. Agora o meu sonho é continuar por muito e muitos anos.


Segue o texto:

Muitos já me perguntaram o que há de interessante em passar minutos e até horas correndo por aí... sempre respondi a mesma coisa à todos: “nem que eu passe horas lhe descrevendo, não conseguirei lhe dar 10% da resposta.”
         Não conseguirei, não por falta de conhecimento, não por falta de prática, nem por uma didática inadequada... mas sim por que correr é sentir, correr é como um abraço, como um beijo, como um carinho de quem você ama... essas coisas não se definem, apenas se sentem...
         Não tenho sonhos impossíveis, prefiro os que posso realizar, por isso sou feliz! Concretizo todo dia um desejo meu, uma passada... os minutos passam e concomitante minha cabeça ferve de idéias para minha família, meu trabalho e meus sonhos...
         Sinta-se bem correndo! É o que desejo aos que se arriscam entrar neste precioso e sagrado mundo do correr. Nem que isso pra você seja um sonho como foi pra mim... vale muito a pena!!!
         No início é assim: cansa um bocado! Por um instante você acha que nunca vai conseguir sair da caminhadinha, mas aí passa-se o primeiro treino... depois vem o segundo e o terceiro... todos associados a dores, suor, cansaço, falta de ar... realmente, é muito estranho... paradoxal!!! Mas garanto-lhes: a recompensa é boa e duradoura...
         De repente você se vê com um mês de treino sem faltar! Bravo!!! É disso que seu corpo precisa: ADAPTAÇÃO. (Acredite, você já se adaptou a coisas muito piores e que nunca lhe trarão benefícios tão prazerosos à curto, médio e longo prazo!) O seu organismo começa a entender que aquela agressão sofrida, cheia de impactos e sobrecargas está virando rotina, então sabiamente ele desenvolve um sistema cada vez mais forte, prolongando o limiar de dor, substituindo as passadas barulhentas à harmônicos passos... invertendo o desconforto do calor pelo prazer em ver a gota do suor pingando do boné...
         Pronto! Você está prestes a ser um corredor! O corredor mesmo, não é aquele que corre muito tempo ou longas distâncias, tampouco aquele que tem o tênis mais caro, um GPS de última geração... quem corre é aquele que sonha e realiza, é o que vence os desafios pessoais, é aquele mesmo com preguiça, levanta e vai!
Tente vencer apenas 12 treinos, vai ver como as coisas ficarão melhores pra você. Isso não vai lhe dar garantia de que irás correr 5 ou 10km nesse curto tempo, mas benefícios como disposição, aumento do débito cardíaco e ventilação pulmonar já vão aparecer, sem falar nos quilinhos a menos (se fizer uma dieta também né?).
Caro amigo, a tal da adaptação nunca vai deixar de existir, ela é que lhe fará evoluir, dar mais uns passinhos de corrida, mais uns metros, mais uns postes, mais uma esquina... e em breve estarás correndo e conversando com um amigo por aí... neste dia sentirás o sabor da corrida e o que há de bom em sair por aí correndo...
Seja amigo dos seus treinos... seja aliado da adaptação... e principalmente: SONHE bastante por que assim como eu ou os outros “doidos” que correm por aí sem destino, VOCÊ TAMBÉM É CAPAZ!!!

Prof. Luis Eduardo Parente Santos (Dudu)



Foto: .Edilberto Campelo

terça-feira, 29 de setembro de 2015

2a. Maratona do Espírito Santo - Vila Velha-ES (27/9/2015)

 De acordo com a divulgação da própria prova, foram 246 concluintes dos 42km, 432 dos 21km e pouco mais de 400 nos 7km, mas na minha opinião a Maratona do Espírito Santo, que nesse domingo teve sua 2ª. edição, tem muito pano pras mangas pra crescer nos próximos anos.

É mais uma opção de maratona no Brasil e com um percurso de ponta a ponta, em uma cidade linda de se visitar como Vila Velha e, consequentemente Vitória, sua vizinha e capital do Estado. Esses dois diferenciais me atraíram quando resolvi me inscrever e voltar à Vitória, onde tinha estado em 2012 para correr a famosa 10 Milhas Garoto (http://liaccampos.blogspot.com.br/2012/09/10-milhas-garoto-vitoria-es-2-setembro.html.).

Vila Velha, antiga capital do Espírito Santo na verdade é a cidade que concentra toda a estrutura da corrida, da entrega dos kits, à concentração dos atletas para pegarem os ônibus que os levarão para a largada do percurso escolhido à chegada e premiação.

Já na inscrição temos a opção de comprar o ônibus para a largada. Na prova de 21km a mesma se dá a poucos metros da beira do mar, no bairro de Interlagos, em Vila Velha, enquanto que a largada dos 42km acontece na famosa e badalada praia de Guarapari.




domingo, 20 de setembro de 2015

2o. Encontro das Assessorias Esportivas - Fortaleza - 20/9/2015


Um evento com expositores de artigos esportivos, palestras, clínicas e finalizando com corrida.
Assim foi a 2ª. edição do Encontro das Assessorias Esportivas.
Recorde de inscritos (3 mil), com vagas esgotando-se antes do previsto, pode-se dizer que foi um sucesso.


jj


terça-feira, 15 de setembro de 2015

Caño Cristales - Colômbia - julho 2015



Sabe aqueles posts “Não morra antes de visitar esses 10 locais na América do Sul” ou tipo assim? Pois foi neles que eu soube da existência desse rio situado no meio da selva colombiana, na cidade de Macarena.
Caño Cristales, “O Rio das Cinco Cores”.

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Cartagena das Índias, a cidade amuralhada e suas casas avarandadas - julho 2015

Com certeza Cartagena é o primeiro, senão único local que vem à mente dos brasileiros quando se fala em Colômbia.
Blogs em profusão, sites, excursões.
Fica no caribe colombiano, mas aquelas águas transparentes, aquele mar azul próprio do Caribe não são exatamente o que vamos encontrar por lá.
Não. O charme da cidade vem da sua história que se mantém conservada nas ruas estreitas, casas coloniais de sacadas características, tudo isso envolto pelas famosas muralhas.





quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Medellin - dois dias foram pouco na cidade da eterna primavera (julho/2015)

Medellin entrou no meu roteiro por pura curiosidade
Não uma curiosidade pela cidade em si, mas pela transformação pela qual ela passou  nos últimos anos, deixando o título de “cidade mais violenta do mundo” que ganhou em 1988 para ser hoje uma cidade transformada.

Antigamente dominada pelo tráfico e delinquência, a taxa de homicídios era de 440 por 100 mil habitantes. Para efeito de comparação, a média mundial é de 10/100 (!). Atualmente, a campeã de homicídios no mundo é a hondurenha San Pedro de Sula, com 187/100 mil e a minha Fortaleza, 8ª. colocada nesse triste ranking no ano de 2014, quase 80/100 mil.

Meu interesse nisso? Ver de perto essa mudança. Ver que é possível e sonhar e acreditar que um dia nosso país, mergulhado na violência do dia a dia, com 19 das 50 cidades mais violentas do mundo, possa vir a mudar também. É “só” querer.
E o “querer” de Medellin passou, principalmente pela educação (claro que também pela repressão, no caso com ajuda dos EUA) com o aumento do orçamento de 3% para 25% nesse setor. Bibliotecas, parques, centros culturais foram criados em locais antes dominados pelo tráfico, lixões e áreas excluídas.

O que eu vi na 2ª. maior cidade da Colômbia, com seus mais de 3,5 milhões de habitantes?
Vi uma cidade bem “misturada” socialmente. Pensando em encontrar um local dominado inteiramente pelas favelas que sempre vi em fotos, me surpreendi com bairros chiques, carros caros nas ruas, restaurantes e bares como qualquer outra metrópole de primeiro mundo.



Zona nobre de Medellin

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Bogotá e Zipaquirá, a maravilha da Colômbia - julho de 2015

Com população de pouco mais de 7 milhões de habitantes e entre 8 e 9 milhões (se contar com sua região metropolitana), Bogotá  é uma das cidades mais povoadas da América do Sul, enquanto que sua altitude de 2640m acima do nível do mar a coloca na posição de 3ª. capital mais alta do mundo (perdendo para La Paz e Quito). Em razão dessa altitude, a cidade possui um clima sempre agradável, com temperatura média em torno de 14oC.


Do Cerro de Monserrate, a vista da imensa Bogotá abaixo

segunda-feira, 27 de julho de 2015

16a. Meia Maratona de Bogotá - Colômbia - 26/7/2015

Depois de 18 dias, quando meu único movimento que tenha “parecido” correr foi a Meia Maratona de Bogotá, voltar aos treinos e conseguir completar 8km ainda que em um ritmo pra lá de DQP (devagar quase parando), foi pra mim um grande alívio, pelo fato de ter visto que, mesmo que os 7 dias anteriores à prova, sem treino e com má alimentação, tenham afetado o meu desempenho, cheguei à conclusão que o grande responsável pelo meu maior fracasso em todas as 35 meias maratonas das quais participei foi de fato a altitude de 2600 da capital da Colômbia.

A Meia Maratona de Bogotá é a única prova da América Latina que tem o selo ouro outorgado pela IAAF (International Association of Athletics Federations), órgão que gera o atletismo a nível mundial.
Para obter selo ouro a competição tem que atender a alguns requisitos como a organização geral, medição do percurso, segurança e atendimento médico.





segunda-feira, 20 de julho de 2015

Projeto Colômbia - Julho 2015

Sou apaixonada pela América do Sul e, depois de Chile, Argentina, Uruguai, Bolívia e Peru, chegou finalmente a hora de conhecer um pouquinho da Colômbia.

Há alguns anos, falar de Colômbia era falar da violência das drogas, era evocar os cartéis, era lembrar de grandes traficantes como o mítico Pablo Escobar. Turistar na Colômbia? Tá doido? E as FARCS? E a violência?
Muita coisa mudou e hoje as pessoas estão mais interessadas turisticamente nesse país, principalmente o lado caribenho, a famosa Cartagena das Índias e a paradisíaca ilha de San Andres.
E é pra lá que eu vou!



Meu roteiro

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Treino Cultural na Escadaria de Santa Rita e Museu Senzala Negro Liberto em Redenção-CE (11/07/2015)

Eu sabia que um dia iria subir a escadaria que via da estrada em Redenção sempre que passava a caminho de Guaramiranga!

Não tinha essa vez que, ao passar e olhar o caminhozinho cortando o verde da mata, na Serra do Cruzeiro, eu não me imaginasse subindo e apreciando a paisagem.




segunda-feira, 29 de junho de 2015

Golden Four Asics enfim chegou em Fortaleza!!!! (28/6/2015)

Desde que foi anunciado que o Nordeste ganharia uma etapa do Circuito Golden Four Asics, todos por aqui ficamos muito contentes. Na verdade, ficamos mesmo foi eufóricos.

Sendo os 21km mais comentados do Brasil, realizados aqui em Fortaleza, aí então a alegria foi geral.

O número de corridas de rua cresceu vertiginosamente na nossa cidade de uns anos para cá. Etapas de provas nacionais, como Mizuno e Fila, já tinham aportado na nossa terrinha. Muitas com percurso de 10 e 5 km, enquanto que meia maratona, somente em 2014 ganhamos a nossa segunda, a da Pague Menos (por sinal, excelente organização).

A expectativa com a etapa Asics movimentou os grupos sociais de corrida de rua.

Quem nunca havia participado de uma etapa nas outras cidades do Brasil onde ocorre o circuito, ou seja Rio, São Paulo, Brasília e Porto Alegre, ficava se perguntando o porquê de tanto escarcéu em relação a uma prova.
Quem já tinha participado, perguntava-se se a organização de Fortaleza manteria o mesmo padrão das demais.

Pois bem, a prova ocorrida no domingo, mostrou aos primeiros a razão de tantos comentários positivos e aos segundos, que não havia razão para a preocupação.

Considerado um circuito de provas rápidas e, por isso mesmo, preferencialmente planas, o percurso em Fortaleza foi bem escolhido.



quinta-feira, 18 de junho de 2015

Um pouco de Inhotim e Ouro Preto com direito a trem e minas em Mariana

Que me desculpem os belo-horizontinos, mas quando penso em Minas Gerais, costumo lembrar mesmo é de Ouro Preto (além do pão de queijo, do feijão tropeiro, do torresmo e da cachaça!).
Ouro Preto, Mariana, Tiradentes, Congonhas. Enfim, as cidades históricas que conhecemos ainda crianças através dos livros escolares.
E mesmo quem já conhece, não se furta de voltar e curtir as ladeiras (tá certo.... nem todos!), o visual lindo daquela região e o friozinho.
Comigo não foi diferente e, decidida a correr a Meia Maratona Estrada Real, a oportunidade de levar meus filhos para conhecerem as cidades históricas, eu não perderia.

Mas antes, fiz um programa desconhecido também para mim: Inhotim.

Distante 100 km do aeroporto de Belo Horizonte, com área de 20,023 km², Inhotim é considerado o maior centro de arte contemporânea ao ar livre da América Latina e foi para lá que, depois de alugarmos um carro, partimos direto do aeroporto.
Chegamos ainda cedo, o estacionamento estava quase vazio e as filas ainda  se formando.
Arte, pra ser bem sincera, nunca foi meu forte, portanto, confesso, não me entusiasmei com essa parte.
No entanto, achei o paisagismo simplesmente lindo! Jardins lindos, lagos, muito verde, plantas exóticas, fragmentos da mata atlântica.



Inhotim

terça-feira, 9 de junho de 2015

II Meia Maratona Estrada Real - Ouro Branco-MG (7/6/2015)

Escrevendo o relato da II Meia Maratona Estrada Real um pouco mais de 24 horas depois da prova, com a lembrança da corrida não somente ainda na memória, mas principalmente nas pernas, que nunca antes, em todos esses 11 anos de prática de corrida de rua, ficaram tão doloridas, a ponto de eu ter dificuldade não só de fazer qualquer movimento (que não seja o de respirar  rs), como até de me acomodar na cama para dormir e acordar com as mesmas latejando.
Não estou exagerando!
Eu jamais havia participado de uma corrida com tantas descidas e agora entendo o temor que escutei aqui/acolá em conversas dos corredores participantes, mostrando sempre a preocupação com as descidas desses 21km!

Mas isso é somente a lembrança física e ela, apesar de dolorida, não quer dizer absolutamente que não tenha valido à pena.
Pelo contrário! Valeu sim! E muito. A prova foi simplesmente maravilhosa!
Difícil, mas de um visual tão lindo, que com certeza compensou a dor.

Eu soube a respeito dessa prova pela internet e logo me interessei.
Correr pelas montanhas de Minas Gerais, na região das cidades históricas, chamou minha atenção desde o primeiro momento e um feriado “imprensado” na mesma época, com a possibilidade de levar meus filhos para conhecerem um pouco Ouro Preto e região, foram pontos cruciais para que eu me decidisse .

Percorrer correndo parte da Estrada Real, caminho “oficial” autorizado para a circulação de pessoas e mercadorias na época do Brasil Colônia seria muito legal.

A prova acontece em Ouro Branco, distante 32km da sua famosa irmã Ouro Preto, cidade que também teve sua origem nas primeiras bandeiras, no ano de 1694, à procura de ouro.

A entrega do kit foi em uma loja e a inscrição dava direito a um jantar de massas na véspera e um café da manhã antes da largada.
Não pude ir a nenhum dos dois, portanto não sei como foi.




segunda-feira, 1 de junho de 2015

6o. Circuito de Corridas Pague Menos - Etapa Fortaleza - 31/05/2015

Mais uma vez a Corrida Pague Menos demonstrou que não é “somente” o kit.
Longe disso!

Todo ano é a mesma correria na hora das inscrições e muita gente acaba ficando de fora por não conseguir.
Muitos se inscrevem pelo kit e na véspera da prova, nos grupos de corrida, a oferta/procura por número de peito e chip é grande.

Este ano me inscrevi pelo grupo CORREFOR, que, através do Jéfferson Malveira, realizou a inscrição de 60 pessoas, tendo ele mesmo pegue o kit de todos, então não posso avaliar a organização dessa entrega, mas conforme relatos, transcorreu tranquilamente e sem problemas.

E o kit da Pague Menos é realmente merecedor da fama. Com certeza em nenhum outro lugar do mundo existe um kit tão recheado!!


Recebendo o kit com Jéfferson Malveira

sábado, 30 de maio de 2015

Maratona. Fazer ou não fazer, eis a questão! (ou... Quem nasceu para meio maratonista, que se contente com os 21km mesmo! :) )


Mas afinal de contas, por que eu estou aqui correndo isso tudo?
Pra provar alguma coisa pra alguém? Pra mim mesma? Vale a pena?

Essas foram as perguntas que me acompanharam durante praticamente todos os 42.195m da maratona de Cordoba.

Progredir nas distâncias é algo quase intrínseco ao corredor.
Começamos com um trotezinho básico, enchemo-nos de felicidade com os primeiros  5km e a alegria da primeira prova de 10km é dificilmente esquecida.
Depois disso, invariavelmente, começamos a paquerar com a meia maratona.
De 10 pra 21 é muita coisa, sendo por isso mesmo  um processo um pouco mais demorado e ficamos meio que sonhando com o dia em que atingiremos essa marca, que, sendo batida, nos faz pensar que somos seres “especiais”, diferentes dos demais “mortais”, afinal, somos MEIO MARATONISTAS.

Aí, como corredor é meio louco (e muito ambicioso) começamos a olhar e sonhar de longe com ela, a prova das provas, a rainha maior, o sonho de consumo: A MARATONA.
Admiramos os maratonistas e olhamos para eles com  respeito, afinal, são seres "poderosos", determinados, que conhecem as dores e delícias de correr 42km e, secretamente, começamos a pensar em nos tornar um deles.

Mas, se dos 10 pros 21 já é um longo caminho, dos 21 pros 42 então......
Não tem problema. A gente vai lá. Treina, treina, treina e chega o dia da coroação máxima de tornarmo-nos maratonistas, igual a Filípedes (que na verdade correu foi 233km...). Glória total.
E aí passamos a acreditar que podemos tudo!

E comigo não foi diferente.
Passei por todos esses passos e sonhos para depois de 5 anos de corrida fazer minha primeira maratona.
Primeiros 42km feitos, achei que podia tudo. E emendei logo mais 2 provas de 42 no curto espaço de 11 meses. Resultado? Lesão.
Se existe uma coisa que tenho pavor é lesão! Não pela dor ou demora de tratamento, mas pelo fato de ter que parar de correr.
Então, coloquei na minha cabeça que não iria mais correr maratonas, pois não queria me lesionar e, consequentemente, parar de correr.
Mas.....
No fundo eu sabia que “O” dia iria chegar.

Decidida a fazer mais uma maratona e provar pra mim mesma que ainda sou capaz (apesar dos anos que estão passando...), me cerquei de cuidados, sendo o principal, contratar um treinador, afinal, treino pra 21km eu sabia fazer, mas pra 42, sabia não...
O Duda montou três meses de planilha pra mim, que eu segui à risca.
Treino pra maratona é pesado. Longões longos.....

Como sempre, fiz todos os meus treinos sozinha.
Aos sábados, dia mundial do longão, estacionava o carro no Iguatemi, enchia de garrafas de água congelada e saía pra correr. Os últimos kms (uns 10 ou mais), eu já percorria rodando o estacionamento do shopping, feito peru, mas assim podia pegar minha água e também evitava um pouco mais o sol.

Ah, o sol!
Esse é um capítulo à parte.....
Correr 30, 32km no sol de Fortaleza, com certeza nos faz capazes de correr ultra maratonas em qualquer lugar do mundo menos quente!
E, nesses treinos muito longos, o sentimento que mais me marcou foi o da "falta de saco".
Sim. Lembro de uma vez que queria fechar os 35, mas quando cheguei nos 32, apesar de ainda me sentir com fôlego, bateu uma falta total de saco e de paciência. E parei. Chega. Tá bom. Que venham logo esses 42!

E eles vieram.
Não sem antes (menos de 1 semana), uma gripe literalmente me derrubar e me tirar dos treinos por uns 4 dias.
Pronto! Já insegura e sem treino na última semana, comecei a achar que não estava preparada.
Viajei. Na 5a. feira,   sentindo-me melhor, fiz um treino de 6km (!) em Córdoba.
Ah meu Deus! Corri no máximo 32km já faz DUAS semanas, pego uma gripe de moer, fico “um bocado” de dias sem treinar, faço só um treinozinho de 6km na 5a. feira.....
Será que eu vou conseguir?

Quer mais? Quer mesmo?
Pois lá vai: na sexta-feira, DOIS dias antes da prova, acho que de ansiedade, chegou uma baita diarreia. Isso mesmo. Agora lascou! 😀
Sozinha, com passeio agendado em agência de turismo, decidi mesmo ficar no hotel quietinha, com 5 litros de água que comprei, bananas e maçãs. Daqui não saio.

Mas a noite chegou e a rua em que eu estava hospedada era cheia de bares.....
Quer saber? Eu tô na AR GEN TI NA! Vou ficar aqui presa numa noite de sexta-feira não!
Desci pro bar embaixo do hotel, fiquei observando o movimento da rua e pedi uma QUILMES ao garçon, com queijo de tira gosto e o danado me trouxe ainda uma porção de amendoim de cortesia! Pronto! Agora acabou tudo de vez! Agora Inês morreu e minha maratona foi pro brejo! Que seja!

No sábado ainda não estava 100% do intestino, mas me enchi de água e banana novamente, fiquei em repouso absoluto (só no “zap zap” com amigos e treinador, tentando me acalmar) e deu certo, meu intestino me deu paz!
No domingo, não tinha como fugir e fui encarar o que estava me apavorando.
Estava mesmo muito insegura com todos esses acontecimentos.


Uma cearense inquieta e apavorada esperando a largada

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Maratona de Córdoba/Argentina - 03/05/2015

Depois de três meses de dedicação aos treinos, finalmente lá estava eu em Córdoba, na Argentina, pra morrer de ansiedade antes de correr minha 4a. prova de 42km, quase cinco anos depois de ter percorrido pela última vez essa distância.




sábado, 25 de abril de 2015

Rendi-me. Que venham esses 42km - Córdoba - Argentina - 3/5/2015

Agora sim!
Depois de pouco mais de 4 anos, pela primeira vez ultrapasso a marca de 30km e ganho mais confiança para meu próximo projeto: voltar a correr os 42.195m.


Morta! Mas feliz.

terça-feira, 21 de abril de 2015

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Desafio das Capitais - Aquiraz-Fortaleza - 25/01/2015

Em abril de 2008 fiz minha estreia nas provas de 21km na Meia Maratona de Fortaleza,  partindo para a Meia Internacional do Rio de Janeiro em agosto do mesmo ano e, já em dezembro, para a minha maior distância até então: os 25 km do Desafio das Capitais.

Saindo da antiga capital do Ceará, Aquiraz, que em 1726 perdeu o posto para Fortaleza, a prova teve largada no final da tarde (o que amenizou em muito o calor), e os corredores chegaram ao antiteatro do Parque do Cocó, na nossa atual capital,  já à noite.


Túnel do tempo. Preparados para a largada em Aquiraz