quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Ser Corredor de Rua em Fortaleza



Ser corredor de rua em Fortaleza talvez não seja muito diferente de ser corredor de rua em qualquer grande cidade  do Brasil.

É verdade que em Fortaleza não temos espaços tão bons para os treinos como parques e ciclovias que existem em Brasília, Rio de Janeiro ou São Paulo.

Mas temos algumas ciclovias e as ruas. Muitas ruas. Afinal, corredor é para correr nas ruas. 

Ser corredor de rua em Fortaleza é saber conviver com o calor durante TODO o ano. É ter por acompanhante de treino sempre um sol para cada um, mesmo quando se corre "de ruma".

Esse sol constante tem o lado bom, pois como costumeiramente só chove no máximo uns 10 dias durante  o ano, nós temos os outros 355 dias para correr sequinhos. Isso para os que não gostam de correr na chuva, claro. Uma bênção para, como diz uma amiga, os que são feitos de açúcar (como eu!).

Ser corredor de rua em Fortaleza é ter várias provas durante o ano. Mas provas curtas, de 5 e 10 km. Uma única meia maratona e agora, felizmente, provas mais longas organizadas pelos próprios corredores, como o Desafio das Pontes, com seus 25 km.

Isso também tem seu lado bom porque nos “obriga” a viajar em busca de corridas mais longas, o que  só reforça a fama de sermos cidadãos do mundo e de que em todo lugar do planeta com certeza existe  um cearense. E nas corridas nesse mundão afora, somos muitos!!!!

Ser corredor de rua em Fortaleza é literalmente derreter durante o treino. É ter que torcer a camiseta depois de correr num dia quente (quase todos) para não chegar em casa pingando tanto e molhando tudo  por onde passar.

É fazer uma prova em outra cidade, com temperatura média de 24ºC, e ficar admirado de ter tanta gente precisando ser socorrida pelas ambulâncias por ter passado mal com o calor, enquanto nós, os cearenses,  estamos achando o clima “quase” frio.

Ser corredor de rua em Fortaleza é poder incluir na planilha treinos em  areia, e, o que é melhor, areia da praia, com o mar como visual.

É usar gel nos treinos longos mas também não dispensar uma rapadura e, no final, refrescar-se com uma água de coco e comer tapioca para repor as energias.

Ser corredor de rua em Fortaleza é ouvir um “ó o mêi” dos ciclistas quando o treino é feito nas ciclovias e um “oi” de um ou outro corredor, onde quer que você esteja treinando na cidade.

Afinal, Fortaleza é grande, mas é um ovo e em Fortaleza a gente não corre, “faz carreira”.

E, como diria Euclides da Cunha " o (corredor)  nordestino é, antes de tudo, um forte".

Para ilustrar o post eu poderia escolher muitos corredores cearenses "cabras da peste", assim como as "mulheres guerreiras" mas escolhi esses dois cearenses conhecidos no nosso meio (o cangaceiro do Iguatu, que corre a caráter e o índio Tabajara de Monsenhor Tabosa, correndo sempre descalço) que creio representam muito bem a raça do nosso povo



quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Wine Run - Vale do São Francisco (Petrolina/Juazeiro) - 16/11/2013



Wine Run, 21 km pelo Vale do Rio São Francisco, por dentro de fazendas, no calor do semi árido nordestino, entre parreiras.

Um lugar totalmente desconhecido por mim, com hospedagem no estado de Pernambuco, na cidade de Petrolina, a poucos metros da Bahia, com a cidade de Juazeiro e, entre as duas o “Velho Chico” esparramado. Correr no semi árido nordestino e conhecer muitas coisas novas. Perfeito para encerrar o ano.

Com todos esses chamativos, logo encontrei companhia. Não para a prova, mas para o passeio e assim seguimos eu, Wilkie e meus pais para Petrolina.

Em Petrolina, nos hospedamos no hotel oficial da prova, o Quality Inn, que fica na orla da cidade, com uma vista linda para o rio e para sua vizinha de frente, Juazeiro.




quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Golden Four Asics Brasília - 3/11/2013



Os 21km da Golden Four Asics são sempre rápidos, bem organizados e desejados pelos corredores.
Com etapas em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Brasília, este ano repeti a experiência de 2011 na capital federal. 

Em 2011 aproveitei a oportunidade e levei meus filhos mais velhos para conhecerem Brasília e foi um passeio inesquecível.

Este ano fui mesmo “somente” para correr e comigo foram mais muuuitos corredores de Fortaleza, com destaque para meu colega de trabalho, Felippe e o Paulo César, “mundialmente” conhecido por PC, em sua primeira viagem interestadual, em que iria correr na Elite B, com a missão pessoal de trazer para casa e para sua assessoria, a Limiar, uma medalha de TOP 100, um dos 100 melhores corredores da prova, que é muito bem disputada.

Ficamos em um hotel bem localizado, perto da entrega do kit e da largada e com vários cearenses, entre eles a turma dos Contabilistas (com Augusta e Joaquim também na elite B em busca dos TOP 100), Zero Km e Km. Estávamos em casa.

Depois da tensão do PC em sua primeira experiência aérea nas nuvens (porque no chão ele já voa), uma pizza foi muito bem vinda, regada a histórias e mais histórias, principalmente nosso assunto em comum: corrida.

No sábado, chegamos cedo na entrega dos kits e não pegamos fila, mas minutos depois a fila estava dobrando. Menos mal que já tínhamos pegue os nossos e amigos de Fortaleza era o que não faltava para uma conversa animada.


Movimento da Expo

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Lisboa e Óbidos (out/2013)




"Lisboa com suas casas
De várias cores,
Lisboa com suas casas
De várias cores,
Lisboa com suas casas
De várias cores..."
"Oh, Lisboa, meu lar!"

Foi a Paris, Barcelona, Berlim, Londres, e passou batido por Lisboa?
Com certeza não somente Fernando Pessoa foi apaixonado por essa cidade às margens do Tejo.
Eu também o sou.


"Ó macio Tejo ancestral e mudo"

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Londres - outubro 2013



Londres foi inteiramente novidade para mim.
Prazer, Londres. Adorei.
A “cidade cinza mais bonita do planeta”, como bem disse um amigo, foi extremamente amigável conosco e, apesar do cinza, não choveu e a temperatura estava sempre agradável.
Menti. Estive em Londres antes sim. Quando criança, com meus pais, mas a memória infantil não acusou absolutamente nada.
Portanto, me deparar  ao vivo com o que eu tinha visto tantas e tantas vezes em fotos foi deslumbrante.
A imponência do Parlamento com o Big Ben, assim como a Torre de Londres, agora sim, jamais sairão da minha memória.
Lindos, imponentes, maravilhosos. Muito mais do que qualquer foto.







sábado, 19 de outubro de 2013

Paris - setembro 2013



E mais uma vez em Paris!
Mais não, porque Paris nunca será demais.
E o que dizer de Paris?
O roteiro foi bem turístico pois Letícia e Wilkie nunca tinham estado na cidade luz e era preciso percorrer mais uma vez aqueles pontos chatos, feios, entediantes, como a Torre Eiffel, o rio Sena, o Arco do Triunfo, os Champs Elisée, o Louvre, a Place de Vosges, o Palácio de Luxemburgo, o Sacre Couer e tantos outros lugares. Um tédio, um sofrimento... rs
Foram poucos dias e, claro, insuficientes.
Fiz duas coisas inéditas: subi na Torre Eiffel e conheci a ponte dos cadeados dos casais apaixonados.
A torre, nunca tinha subido por absoluta falta de paciência de enfrentar a fila. Dessa vez, meus companheiros de viagem foram firmes na sua vontade e rendi-me. Sorte minha que a fila não estava tão grande.
E como valeu a pena! Lindíssima vista da cidade!


terça-feira, 15 de outubro de 2013

Paris-Versailles - 29/9/2013



Desde a 1ª. vez que li sobre a Paris-Versailles, há anos, que a prova ficou entre as tops da minha lista de sonhos, mas a Europa não estava nos meus planos e ela foi sendo adiada, até que neste ano, os astros se alinharam e tudo ajeitou-se para que eu finalmente participasse desses 16km em 2013. Até uma companheira de corrida, a Cris, veio juntar-se a mim nesse sonho.
A prova é tradicional. Está na 36ª. edição e as 25 mil vagas (26 euros) abertas esgotaram-se meses antes.

Chegamos em Paris na 6ª.feira e depois de deixarmos as malas no hotel, fomos imediatamente pegar o kit, em um ginásio de esportes.





quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Vodafone Meia Maratona RTP Rock’ n’ Roll de Lisboa - 6/10/2013



 A Vodafone Meia Maratona RTP Rock’ n’ Roll de Lisboa aconteceu juntamente com a 1ª. edição da Rock’ n’ Roll Maratona de Lisboa EDP.
As duas provas uniram-se pela primeira vez e fizeram parte do circuito Rock’ n’ Roll.
A data ser no domingo posterior à corrida de Paris, foi perfeito.
Nesse mesmo domingo haveria  também a meia maratona de Londres, onde eu já estava, mas correr em Lisboa, ainda por cima sobre a ponte Vasco da Gama (não sei de onde surgiu esse meu fascínio de correr sobre pontes...) me arrebataram de pronto.
A Cris decidiu ficar em Londres e correr por lá. Eu segui para Lisboa.
Depois de correr minha 3ª. e última (?) maratona em 2010 e nem pensar em encarar os 42km tão cedo, o vislumbre do percurso dessa prova em Lisboa, saindo de Cascais, e chegando na capital sempre beirando o Atlântico, chegou a me balançar...
Mas (felizmente!) o percurso da maratona, apesar de terminar no mesmo local da meia, não passava pela ponte....
Escolha feita e decidida.
A entrega do kit foi em um pavilhão no Parque Vasco da Gama, onde tinha uma feira bem montada com alguns estandes interessantes e onde passei um bom tempo.



segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Uma manhã de domingo no "Sidney 42k" com os Contabilistas



Aniversário se comemora com quê?
Com festa!
Festa pra corredor é como?
Correndo!

Então pronto, foi exatamente assim que foi comemorado o aniversário do nosso amigo Sidney. Correndo a quantidade de quilômetros referente à sua nova idade: 42.

Obviamente, quem não é corredor não consegue entender tal comemoração. Acordar de madrugada em um domingo pra ir pra estrada correr, festejando um aniversário???
Realmente, se eu não fizesse parte desse grupo, com certeza acharia “mó paia”.
Mas não. Foi maaaaasa!

Acordei ainda escuro e fui com meu amigo Pedro Sena para o sítio onde seria dada a largada. Chegando lá, a animação já estava instalada.


 
O Sydney gordinho de antes e o de agora, pós corrida


terça-feira, 17 de setembro de 2013

4o. Circuito Pague Menos e a batismo das amigas no mundo das corridas com uma "quase" queda



Mais do que conhecida por todos pelo excelente kit ofertado, o 4º. Circuito de Corridas Pague Menos deste ano cumpriu com as expectativas de todos, não somente pelo kit, mas por toda a estrutura montada, desde a entrega do mesmo, ao oferecido durante à prova, como água gelada, balizamento, segurança, animação, medalha bonita.


Parece mais uma cesta básica!

domingo, 25 de agosto de 2013

Sábado, dia mundial de longão que não teve longão. Quem nunca?.....



Hoje é sábado. Dia mundial do longão.
Mas pra mim, seria meu longão do sábado. Não foi.
Acordei cedo. Como sempre.
Como sempre fui despertando, fui ao banheiro, despertei de vez mas já senti que não daria.
Dá sim!
Muitas vezes me levanto com sono, vontade de ficar na cama, vontade de voltar a dormir.
Mas vai indo, vai indo..... e passa. Dali a pouco tô correndo e achando ótimo não ter me rendido à preguiça.
E hoje pensei que seria um desses dias.
Vamos tomar café que passa...
Passou não.... Pernas pesando, corpo e cabeça dormindo. Não era simplesmente uma preguiça.
Espera mais um pouquinho.... Vai ver que passa.
Passou nada!
Tentei, mas não lembrei de já ter me sentido algum dia assim. A não ser em caso de doença, claro.
E que tal sair pra correr e, no lugar dos 16 km planejados, fazer somente uns 5?
Aí lembrei de um amigo do meu pai, muito gordo e muito glutão, que o médico passou uma dieta onde o café da manhã era um iogurte e duas bolachas cream cracker.
E ele :”Vou lá sujar meus dentes com isso?”
E eu: vou lá sujar meu longão com 5 km?......
Rendi-me.
Simplesmente não dá. Paciência. Ainda não é o fim do mundo e, como dizem os treinadores, é preciso “ouvir nosso corpo”. Ouço e obedeço resignada.
Ainda tenho o domingo..... Ou deixo pra recomeçar na 2ª. feira?
Se soubesse não teria colocado meu despertador hoje e teria aproveitado a noite de 6ª feira......



PS: hoje, domingo, meu corpo obedeceu tudo direitinho e fez os 16. Glória!

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Lençóis Maranhenses - agosto 2013



Não. Não teve corrida de rua dessa vez.

A ida à São Luís do Maranhão apenas 2 meses depois de ter estado lá para conhecer a cidade e participar da meia maratona Super Ar, foi somente uma coincidência de fatores: promoção imperdível da Gol, conhecer os Lençóis Maranhenses e comemorar o aniversário do Wilkie.

E assim, no dia da chegada, depois de uma rápida passada pelo centro histórico da cidade, assistimos ao belíssimo pôr do sol na orla e jantamos no Cabana do Sol, claro, arroz de cuxá com peixe frito. 


Casa das Tulhas

sexta-feira, 26 de julho de 2013

3a. Meia Maratona Caixa da Bahia - Salvador-BA- 21/7/2013



A ideia era ir para Salvador e correr a Meia Maratona Iguatemi Farol a Farol. Uma reta só, do farol da Barra ao de Itapoã, com toda certeza deve ter um percurso muito bonito.

Mas para outubro eu já tinha outros planos então, quando uma promoção de passagens aéreas apareceu na data da Meia Maratona Caixa da Bahia (http://www.ibahia.com/meiamaratona/), foi bater a fome com a vontade de comer. Perfeito.

Fazia uns 8 anos que eu tinha estado em Salvador pela última vez. 

A visita do meu amigo corredor baiano José Amâncio Neto em Fortaleza em maio, me despertou a vontade de correr uma prova na terra do acarajé, que eu tanto amo.
  
José Amâncio, assim como eu, escreve para o site de corrida de rua Jornal Corrida e tem um blog (http://joseamancioneto.blogspot.com.br/). Possui uma história de mudança de vida radical, quando trocou o sedentarismo e o alcoolismo pela vida saudável das corridas.
Nos conhecemos pela net e em maio deixamos de ser amigos virtuais quando ele veio passar uns dias em Fortaleza e, juntos com a turma da assessoria Sena Team, fizemos um treino na Beira Mar.


Um "baiano" e uma cearense correndo na Beira Mar

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Feriado de Páscoa em Lima - março de 2013



Mais um relato atrasado e atropelado pelos demais e que apenas deixarei registrado por achar que seria imperdoável não dividir um pouquinho do Peru, principalmente com quem ainda não conhece o Peru, ou melhor, Lima.

Pois é.... Menos de 1 ano depois de me maravilhar com esse país, numa viagem inesquecível por tantos locais lindos, lá estava eu de novo, dessa vez carregando minha família, que, de tanto ouvir meus entusiasmados relatos sobre as maravilhas do país, o escolheram como destino do feriado da Páscoa e comemoração do aniversário do meu irmão.

Estando todos já programados, juntei minha tropa e lá fui eu de novo, dessa vez com parada somente em Lima.

Maravilha, pois ano passado achei que fiquei devendo mais dias à capital peruana.

E foi com imenso prazer que meio que servi de guia para todos, mostrando os lugares que já havia conhecido, como o centro da cidade com sua catedral, o palácio presidencial com a troca de guarda, o shopping Larcomar, encravado no paredão e com uma vista maravilhosa do Pacífico, a Praça do Amor em Miraflores , o Circuito Mágico das Águas, o Museo Rafael Larco Herrera e tantos outros locais imperdíveis.


Vista do Larcomar

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Paraty



O deslumbramento tem início no caminho entre o Rio de Janeiro e Paraty,  a cidade colonial considerada Patrimônio Histórico Nacional.

Fiz o percurso, de aproximadamente 250 km, de ônibus e fiquei encantada com as vistas que a BR-101 (Estrada Rio-Santos) nos proporciona. 
Sempre ao longo do litoral, passamos por várias praias, sendo Angra dos Reis a mais famosa e conhecida.

Uma pena estar de ônibus, pois o ideal seria um carro para poder parar sempre que desse vontade de curtir mais demoradamente o visual.

Paraty é muito bem dividida: de um lado, a cidade “nova” com suas lojas e ruas e no outro, a cidade histórica, fundada em 1667, vetada para automóveis, permitida somente para pedestres e charretes .


A cidade "normal"

sexta-feira, 21 de junho de 2013

XII Mini Maratona de Paraty - 24/3/2013



Faz quase 3 meses, mas somente agora estou tendo tempo pra escrever sobre a XII Mini Maratona de Paraty, prova de 18km que há tempos pertencia à minha listinha de sonhos tanto pelo percurso, na famosa estrada Rio-Santos como pela própria Paraty, que eu tinha muita vontade de conhecer.

Por ser realizada no mês de março, muitas vezes li relatos de que  a prova aconteceu debaixo de chuva, mas eu tive sorte, pois a única chuva que caiu nos dias em que estive por lá, foi na noite da véspera da corrida.

No sábado pela manhã, antes de partir no meu passeio de saveiro, fui logo garantir meu kit na praça principal da cidade histórica.
Não havia muita gente, mas a organização deixou a desejar, no que foi totalmente perdoada no dia seguinte, com tudo saindo muitíssimo bem.



quinta-feira, 13 de junho de 2013

Treino TDB (tudo de bom)!!!



Sempre  digo que muitos treinos com amigos valem mais que muitas provas e sábado passado com certeza foi um desses treinos especiais, com amigos e em meio a uma natureza e paisagens exuberantes.

O treino começou às 7 horas, na Terra na Veia, um parque destinado aos praticantes de mountain bike, localizado na fazenda da cachaça Colonial, entre os municípios de Maranguape e Maracanaú.


A caminho, no rastro do Djacir

sábado, 8 de junho de 2013

São Luís, a Ilha do Amor



E São Luís, a cidade dos azulejos, dos casarões, do Bumba Meu Boi, do poeta Ferreira Gullar, do Zeca Baleiro, do guaraná Jesus, a única cidade brasileira fundada pelos franceses e conhecida como Ilha do Amor?

A cidade que eu não conhecia tem duas  opções de hospedagem: ou fica-se na orla ou no centro histórico.
Preferi me concentrar no lado histórico da cidade e fiquei hospedada em  uma pousada muito bem localizada para quem quer ficar nessa região.


O famoso Guaraná Jesus

segunda-feira, 3 de junho de 2013

III Super Ar - Corrida Vale - São Luís-MA - 02-6-2013



Mais uma meia maratona e dessa vez em uma capital nordestina que eu não conhecia: São Luís do Maranhão.

A corrida foi a Super Ar, organizada pela empresa Vale, com provas de 5, 10 e 21km. 

Com o “Projeto de Corrida e Caminhada” para funcionários da empresa, em 2011 a Vale resolveu realizar sua 1ª. corrida de rua, aberta à comunidade, com os percursos de 5 e 10km. Em 2012 os 21km foram incluídos ao evento, que neste ano foi homologado pela Confederação Brasileira de Atletismo.

Além de promover a corrida voltada para uma consciência de melhoria da saúde e bem estar, a Vale doa o dinheiro arrecadado nas inscrições para uma associação comunitária.

A entrega do kit foi feita no Parque Botânico Vale (http://www.vale.com/PT/aboutvale/initiatives/botanic-park-SL/Paginas/default.aspx), local destinado ao lazer e educação ambiental, com muito verde, trilhas, exposições e um orquidário, que infelizmente estava fechado.


Interior do Parque Botânico Vale

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Corrida da Ponte Rio-Niterói - 19-5-2013




A Ponte Presidente Costa e Silva, mais conhecida como Ponte Rio- Niterói, foi construída em 1974, chegando a ser a 2a. maior ponte do mundo e até hoje é a maior  da América do Sul, com exatos 13,29 km de extensão (8,83km sobre a água).

Une, por sobre a Baía de Guanabara, Niterói ao Rio de Janeiro e o visual de quem nela transita é muito bonito, mas só pode ser apreciado de dentro do carro,uma vez que a ponte é proibida para pedestre.

Proibida, menos uma vez no ano: no dia da Corrida da Ponte, que oficialmente tem 21,4km, mas que no meu gps e no de amigos, no dia 19 de maio, deu 21,600km.

Essa prova já fez  parte do calendário nacional nos anos 80, sendo supensa no início da década de 90 quando em 2011 tiveram a brilhante ideia de ressuscitá-la.

Desde sua 1ª. reedição que sonho em participar mas tanto em 2011 como em 2012 não foi possível.
Na 3ª. edição finalmente eu estava lá.

Para começar, os números da corrida impressionam. Somente de pessoal para trabalhar no dia do evento, entre organização, staffs, pessoal de trânsito, pessoal das barcas, médicos, etc, são 2 mil pessoas!
E, com tanta gente envolvida, o resultado foi um show de organização.

Já na entrega do kit, na Praça XV, centro do Rio de Janeiro, a organização estava impecável. Sem filas e com as pessoas dando todas as explicações detalhadas para os corredores.