terça-feira, 15 de outubro de 2013

Paris-Versailles - 29/9/2013



Desde a 1ª. vez que li sobre a Paris-Versailles, há anos, que a prova ficou entre as tops da minha lista de sonhos, mas a Europa não estava nos meus planos e ela foi sendo adiada, até que neste ano, os astros se alinharam e tudo ajeitou-se para que eu finalmente participasse desses 16km em 2013. Até uma companheira de corrida, a Cris, veio juntar-se a mim nesse sonho.
A prova é tradicional. Está na 36ª. edição e as 25 mil vagas (26 euros) abertas esgotaram-se meses antes.

Chegamos em Paris na 6ª.feira e depois de deixarmos as malas no hotel, fomos imediatamente pegar o kit, em um ginásio de esportes.






Tudo muito organizado, sem nenhuma fila e uma feira de artigos esportivos que, na minha opinião, poderia ter sido melhor, dada a grandeza da prova. Havia mais stands de propaganda de outras provas na Europa do que de artigos de corrida.










Tudo bem, estávamos em Paris e apesar do compromisso de 16km no domingo, não podíamos ficar no hotel descansando e passamos o restante da 6ª. feira e o sábado inteiro passeando, caminhando, batendo perna, sempre chegando ao final do dia exaustos.





Eu sentia que no domingo todas essas caminhadas iriam cobrar seu preço, mas na minha cabeça aquela seria mais uma prova pra ser curtida e  fotografada, tanto, que nem GPS levei, então não havia razão para preocupação.

No domingo, acordamos cedo, tomamos café e fomos, eu e Cris pegar o metrô que nos deixaria aos pés da Torre Eiffel, onde seria a largada.

Metrô já cheio de corredores e, quando chegamos na torre, por mais que eu já a tenha visto de perto muitas vezes, não podia ter outro sentimento que não o de admiração de todo aquele local, principalmente assim, com corredores de um lado pra outro, se aquecendo, naquele movimento habitual pré prova.









A ordem primeira era procurar o guarda volumes que foi o único ponto falho da organização. Os caminhões não tinham numeração e as filas estavam uma muvuca total. Muvuca, mas era fila de europeu e, mesmo desorganizada, andava direitinho e depois de um bom tempo, enfim conseguimos deixar nossas coisas e ir para a largada.




Muita gente!!!




Eu e Cris


Às 10h seria iniciada a prova e a saída seria em ondas de aproximadamente 350 atletas, de um em um minuto.

Havia muitos brasileiros e enquanto aguardávamos nossa largada, ficamos conversando com um paulista, uma brasiliense e um cearense (tem que ter cearense!) e observando a movimentação.






Quase às 11h nossa onda saiu.







Logo no início minhas panturrilhas chiaram como se estivessem engessadas. Era a reclamação dos dois dias anteriores de andanças. Eu sabia! Foram 2km com as pernas duras e doloridas para só depois elas melhorarem.






Mas o fôlego também tava reclamando e o cansaço era muito grande.









Fui levando. A prova era animada. Havia 13 (treze!) bandas ao longo do percurso. Tá certo que a maioria era de música clássica, mas havia umas com tambores que deu para animar.














A organização foi perfeita. Trânsito impecável e 3 postos de água com açúcar em cubos, uvas passas e laranjas distribuídos por voluntários de todas as idades sempre muito simpáticos e alegres.


Posto de Abastecimento



Mais uma banda



Tudo perfeito, inclusive a temperatura, que se manteve sempre por volta de 16oC, mas o percurso não é moleza não!

Não tenho costume de olhar altimetria de prova e a Cris já tinha me alertado da ladeira que iríamos enfrentar. Subestimei e brinquei, mas ela tinha toda razão. A ladeira era mesmo pra valer, difícil, muito inclinada e de 2km! E não era a única. Era somente a pior, pois outras se sucederam....




Posto de "encorajamento" em uma das ladeiras




Peeeense na Ladeira!

Nessas horas aproveitava a desculpa para caminhar e tirar fotos.

???? Um movimento para que paremos nossas manifestações????

Parada para curtir uma das bandas


O percurso, ao sair da Torre Eiffel, entra por bairros mais afastados da cidade, até chegar a uma pequena floresta, passar por pequenas cidades ao arredores de Paris, até finalmente chegar a Versailles.


Área para jogar garrafas e lixo em geral. Show!




Floresta


Torcida nas ruas quase chegando a Versailles



Que alívio!











A última ladeira e a ambulância muito bem posicionada

A Cris já tinha disparado na minha frente e estava me esperando na chegada.



Valeu pela foto foto, Cris

Mais fotos. Muitas fotos. Nossa medalha. Linda.






Entrega de medalhas em troca do chip


Ôps.... Esse deve ter sucumbido às ladeiras....

Fomos encontrar a Letícia e o Wilkie nos pontos de encontro, com placas de países, muito bem pensados pelos organizadores. Tínhamos combinado em “Londres” e lá estavam eles, juntamente com a Pascale e o Carlos Henrique, mais 2 corredores de Fortaleza que a Cris combinou de encontrar também em “Londres”.






Eu, Cris, Pascale e Carlos Henrique



A desorganização dos guarda-volumes, felizmente foi só na largada. Na chegada tudo estava separado por números e foi fácil achar nossas coisas.

Tínhamos que visitar Versailles e tínhamos que trocar de roupa e, como não vimos banheiros disponíveis, entramos no clima europeu e trocamos nossa roupa suada por ali mesmo...

Fomos então visitar o Chateau de Versailles e minhas pernas mais pareciam troncos de chumbo, de tão pesadas. Vamos, Lia! Aguenta que você está em Versailles!




Tive que "arranjar" pernas pra visitar Versailles

Ao sair de Versailles, nem parecia que ali tinha acontecido uma corrida com 25 mil pessoas. Incrível! Tudo limpinho e nenhum sinal da prova!

Só mesmo minhas pernas doloridas, minha medalha no peito e minha felicidade de ter realizado mais um sonho.

Valeu, Paris-Versailles, foi merveilleux!!!!!








8 comentários:

Cris Fontenele disse...

Realmente vc conseguiu descrever a prova com muito preciosismo! senti saudades ! Viajar , já é muito bom, para correr é maravilhoso, e em uma prova desta grandeza não temos palavras ! Fica o meu agradecimento, pois devo a você todo o incentivo para esta prova ! Valeu Lia Campos

Anônimo disse...

Como sempre, maravilhoso!
Telma

JOSÉ AMÂNCIO NETO - CORREDOR DA 3ª IDADE disse...

D+ Lia! Pôxa, ler seu relato foi como, quase, participar da prova. Gostei muito. Que beleza! Parabéns!

Anônimo disse...

Très bien!
Cacilda

Anônimo disse...

Parabéns !!! Bjsss
Cristiane

sandro silvino disse...


Bom dia. Procurando por informações descobri seu blog. Me chamo Sandro e já me inscrevi na corrida Paris-Versailles deste ano, aguardando confirmação do atestado médico. Estarei em Lisboa dia 24 e seguirei para Porto novamente dia 28. (Irei participar da meia da cidade de Porto 2015 também). Gostaria de dicas sobre preço para hospedagem em Paris do dia 26 para o dia 27, visita ao Louvre e logística para retirada de kit no dia 26. Grato pela atenção. Sandro Silvino.

Lia Campos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lia Campos disse...

Oi Sandro

A entrega do kit fica em um ginásio nos arredores de Paris. Fui pra lá de metrô, que tem a parada uns quarteirões do tal ginásio. Foi preciso seguir com um mapinha na mão e perguntando às pessoas. Chegando lá, a entrega foi super tranquila!
Já o hotel eu fiquei em um Ibis, padrão econômico localizado nos arredores da cidade. O hotel é bom, simples mas mt bom e atendeu aos meus padrões. Não é perto das atrações turísticas de Paris, mas é ao lado de uma estação de metrô, o que facilita tudo. Portanto, ótimo custo/benefício para quem não se incomoda de pegar metrô.
Ibis Budget La Villette : http://www.accorhotels.com/pt/hotel-4982-ibis-budget-paris-la-villette-19eme/index.shtml
Mais uma dica: chegue cedo na largada, principalmente se for colocar algo no guarda volumes. Mta gente e fila grande.
No mais a prova é sensacional.
Boa sorte e divirta-se.
Lia