quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Medellin - dois dias foram pouco na cidade da eterna primavera (julho/2015)

Medellin entrou no meu roteiro por pura curiosidade
Não uma curiosidade pela cidade em si, mas pela transformação pela qual ela passou  nos últimos anos, deixando o título de “cidade mais violenta do mundo” que ganhou em 1988 para ser hoje uma cidade transformada.

Antigamente dominada pelo tráfico e delinquência, a taxa de homicídios era de 440 por 100 mil habitantes. Para efeito de comparação, a média mundial é de 10/100 (!). Atualmente, a campeã de homicídios no mundo é a hondurenha San Pedro de Sula, com 187/100 mil e a minha Fortaleza, 8ª. colocada nesse triste ranking no ano de 2014, quase 80/100 mil.

Meu interesse nisso? Ver de perto essa mudança. Ver que é possível e sonhar e acreditar que um dia nosso país, mergulhado na violência do dia a dia, com 19 das 50 cidades mais violentas do mundo, possa vir a mudar também. É “só” querer.
E o “querer” de Medellin passou, principalmente pela educação (claro que também pela repressão, no caso com ajuda dos EUA) com o aumento do orçamento de 3% para 25% nesse setor. Bibliotecas, parques, centros culturais foram criados em locais antes dominados pelo tráfico, lixões e áreas excluídas.

O que eu vi na 2ª. maior cidade da Colômbia, com seus mais de 3,5 milhões de habitantes?
Vi uma cidade bem “misturada” socialmente. Pensando em encontrar um local dominado inteiramente pelas favelas que sempre vi em fotos, me surpreendi com bairros chiques, carros caros nas ruas, restaurantes e bares como qualquer outra metrópole de primeiro mundo.



Zona nobre de Medellin


Por outro lado, bairros de população extremamente humilde, como o Santo Domingo , ou mesmo no centro da cidade, na Plaza Botero.

Muitos camelôs nas praças, nos parques, a grande maioria vendendo comidas, sucos, frutas, em uma verdadeira farra de cores e sabores diferentes para mim.



Plaza Botero

Estive na cidade em um fim de semana que se prolongou com o feriado de independência do país na segunda-feira e deu gosto de ver as pessoas ocupando os espaços públicos como praças e praças. Sempre muitas crianças brincando, pessoas fazendo piquenique, concurso de dança. Enfim! Vi pessoas nas ruas se divertindo.

Violência? Claro que ainda existe (hoje a cidade tem uma taxa de homicídio menor que 40/100 mil habitantes), mas não vi. E não achei que ninguém aparentemente estivesse preocupado com isso. Vi muitos, muitos policiais sempre em todos os lugares. Acho que  mais policiais que em Bogotá.

Medellin me chamou a atenção também pela educação das pessoas. Vendedores, taxistas, recepcionistas, todos tinham sempre palavras de atenção e educação. Somente depois fiquei sabendo que a cidade se orgulha dessa educação e tem por lema "Medellín, la más educada”.

A capital da Antioquia é conhecida como a cidade da “eterna primavera” e a “Feira das Flores”, evento que se estende por uma semana com exposições, desfiles, shows é famosa (infelizmente aconteceu poucos dias depois que eu saí da cidade).
Para quem quiser ir também para correr, a Maraton de Las Flores está ganhando fama (http://maratonmedellin.com/) e me parece ser uma boa pedida.

Eu fiquei hospedada no bairro El Poblado, uma região bonita e cercada de bares e restaurantes muito bons.

Mas meu passeio começou por muita caminhada pelo centro da cidade, com início pela Plaza Pies Descalços, um local aparentemente bem popular, lotado de crianças tomando banho nas fontes e brincando na areia.



Plaza Pies Descalzos

Seguindo caminhando chega-se na famosa Plaza Botero, com o Parque das Esculturas de Fernando Botero, o mais famoso medelhinense (assim como Pablo Escolbar.... ).



Escultura de Fernando Botero 

Na praça, turistas se misturam com os vendedores e é lá também que está o Museu de Antioquia, com mais obras de Botero e Pedro Nel Gomez, outro artista local.

Ali perto também fica o Parque de Las Luces, uma praça com 300 postes luminosos.





O Parque Explora é um complexo grande de ciência e tecnologia, interativo, moderno, com aquários, exposições, cinema 3D e  localiza-se em outro local da cidade, ao lado do Planetário e de outra praça bastante movimentada o Parque de Los Deseos, com mais barraquinhas de comidas variadas e a criançada com suas famílias sempre se divertindo.



Aquários no Parque Explora

Mas, pelo menos pra mim, o que mais caracteriza Medellin é  o bairro de Santo Domingo, com sua favela encrustada na montanha de onde se sobe pelo teleférico (metrocable) por incríveis 4,5 km, num passeio com duração de 17 minutos até o Parque Arví.

Ir até Santo Domingo primeiramente de metrô e depois de ônibus normal de linha, por si só já foi um programa diferente. A favela,  não sei bem se pode ser chamada de favela. São casas simples, de alvenaria, tal qual como se vê em fotos. Pessoas humildes pelas ruas. Ruas limpas. Nenhum sinal de violência. Pessoas comuns.  À medida que o teleférico ia subindo, a temperatura ia esfriando e as casas iam ficando mais pobres, mais distante umas das outras, aí sim, mais parecidas com nossas favelas.



O metrocable sobre as casinhas de Santo Domingo

Na parada final do metrocable, 2200m acima do nível do mar, o Parque Arví oferece além de trilhas com guias (gratuito), uma feirinha com comidas e um pouco de artesanato. Pode-se chegar ao Parque Arvi de ônibus, mas pelo que me informei, é um percurso demorado e com muitas curvas.



Parque Arví

Com certeza Medellin (que eles pronunciam Medejim) foi para mim a grande surpresa da viagem. Gostei da cidade, da suas misturas e não é à toa que ouvi diversos colombianos a elogiando e dizendo que lá que deveria ser a capital do país.

Dicas para quem vai:

Como sair do aeroporto: Medellin tem 2 aeroportos. O maior e mais utilizado é o José Maria Córdova que fica afastado da cidade (35km) então, a opção mais econômica é pegar o ônibus executivo do aeroporto (9 mil pesos – uns R$ 12,00), e, 1 hora depois, descer no Shopping San Diego de onde você pode pegar taxi pro seu hotel.

Hotel: Hotel In House (http://www.inhousethehotel.com/). Hotel pequeno, mas muito bom, com excelente localização, no bairro El Poblado. Recomendo.

Metrô: excelente sistema de metrô e fácil de usar.

Parque Arví: o metrocable se pega na estação de Santo Domingo e, para chegar até essa estação, você pode ir de metrô. Como parte dessa linha de metrô estava em manutenção quando fui, acabei utilizando também ônibus de linha comum, o que acabou sendo uma experiência legal, pois o ônibus (bem popular) andou pelas ruas do local, subindo os morros e eu pude observar de perto o movimento , coisa que não teria feito se tivesse ido somente de metrô.
Em Santo Domingo é de onde parte o teleférico até o Parque Arví.
Se sua intenção for fazer a trilha guiada, vá com tempo, pois ela é demorada (3 horas).


Mais tempo em Medellin? Existem outros passeios, entre eles o da Piedra Del Peñol pelo qual me interessei bastante, mas que não tive tempo de ir, pois seria um dia inteiro. Existem agências que o fazem e eu peguei o nome de uma, para, quem sabe um dia que eu volte por lá..... WWW. Aeroturex.com

Veja Mais Sobre a Colômbia: Projeto Colômbia 

                                                Bogotá e Zipaquirá 

                                                Cartagena das Índias 

                                                Caño Cristales









Vídeo com uma pequena coletânea e mais fotos:




https://www.youtube.com/watch?v=U6qr_sZ6_bs 



Mall no bairro El Poblado


Provando da culinária local


Banho no Parque Pies Descalzos






Brincadeira na areia










Parque das Esculturas- Plaza Botero











Ruas interditadas aos domingos para pedestres e ciclistas




Estação de metrô


Subindo de ônibus pelas ruas de Santo
Domingo




Fila do teleférico (metrocable)







Medellin ficando embaixo

Parque Arví





Preparando minha oblea




Ei-la!







Estrada que dá acesso ao Parque Arví

E não é que tinha até "alfinim" em Medellin?













Agora descendo




Bandeira hasteada para comemorar o dia da independência









Parque Explora

Interior do Parque Explora



O Rio Medellin

Feirinha de comidas e artesanatos



Parque de Los Deseos











4 comentários:

Wilkie Martins disse...

Charmosa Medellin! Do Poblado a Santo Domingo, da Plaza Pies Descalços ao Parque Explora, do Metrocable ao Parque Arví. Viajei de novo nessa gostosa narrativa...

Anônimo disse...

Teus posts me fazem passear pelas cidades por onde vc passa.
Rita

JoãoDamasceno disse...

Excelente... Texto convidativo, fotos bonitas, etc. Realmente muito interessante e muito sensato querermos ver Fortaleza caminhar (um dia) na mesma direção...!!!

Anônimo disse...

Li o seu texto e me deu uma vontade de ir lá. Vc poderia escrever em guias turísticos tb. . Beijos
Bernadeth