terça-feira, 9 de junho de 2015

II Meia Maratona Estrada Real - Ouro Branco-MG (7/6/2015)

Escrevendo o relato da II Meia Maratona Estrada Real um pouco mais de 24 horas depois da prova, com a lembrança da corrida não somente ainda na memória, mas principalmente nas pernas, que nunca antes, em todos esses 11 anos de prática de corrida de rua, ficaram tão doloridas, a ponto de eu ter dificuldade não só de fazer qualquer movimento (que não seja o de respirar  rs), como até de me acomodar na cama para dormir e acordar com as mesmas latejando.
Não estou exagerando!
Eu jamais havia participado de uma corrida com tantas descidas e agora entendo o temor que escutei aqui/acolá em conversas dos corredores participantes, mostrando sempre a preocupação com as descidas desses 21km!

Mas isso é somente a lembrança física e ela, apesar de dolorida, não quer dizer absolutamente que não tenha valido à pena.
Pelo contrário! Valeu sim! E muito. A prova foi simplesmente maravilhosa!
Difícil, mas de um visual tão lindo, que com certeza compensou a dor.

Eu soube a respeito dessa prova pela internet e logo me interessei.
Correr pelas montanhas de Minas Gerais, na região das cidades históricas, chamou minha atenção desde o primeiro momento e um feriado “imprensado” na mesma época, com a possibilidade de levar meus filhos para conhecerem um pouco Ouro Preto e região, foram pontos cruciais para que eu me decidisse .

Percorrer correndo parte da Estrada Real, caminho “oficial” autorizado para a circulação de pessoas e mercadorias na época do Brasil Colônia seria muito legal.

A prova acontece em Ouro Branco, distante 32km da sua famosa irmã Ouro Preto, cidade que também teve sua origem nas primeiras bandeiras, no ano de 1694, à procura de ouro.

A entrega do kit foi em uma loja e a inscrição dava direito a um jantar de massas na véspera e um café da manhã antes da largada.
Não pude ir a nenhum dos dois, portanto não sei como foi.





No domingo, o hotel em que estava, liberou o café da manhã  mais cedo para os vários corredores lá hospedados, então deu tempo de tomar meu café e ir de carro de carona com um casal de Curitiba para o clube de onde sairiam os ônibus que nos levariam para a largada, com saída pontual: 6:45.

A prova teve três distâncias: 5, 10 e 21km.

A de 5km sairia do próprio clube.
Já os corredores de 10 e 21, pegariam os ônibus, ficando os primeiros na metade do caminho e nós, os meio maratonistas a 21km de distância, devendo todos percorrer o caminho de volta até o clube.

Foram exatamente 50 minutos dentro do ônibus, sempre subindo, até chegarmos a uma altitude de pouco mais de 1500 metros, no Parque Estadual da Serra de Ouro Branco, de onde começou o espetáculo visual.
Apesar do frio, uns 13oC, todos aproveitaram o tempo para apreciar a vista e tirar fotos.




A largada foi pontualíssima: 8:30 (horário que nem em sonho poderia ser em Fortaleza, mas perfeitamente viável em cidades de clima frio).

A partir daí, foram 9km dentro do Parque, em uma estrada de terra e praticamente toda em descida.




No km 9, entramos no asfalto, na Estrada Real.
E tome descida! Joelhos e pernas no comando.


Descendo e olhando pra Ouro Branco

Pra não dizer que a prova foi toda em descida, pra “quebrar” o ritmo, teve umas subidas sim.
Algumas tão duras, que a organização bem que podia ter colocado umas cordinhas pra nos ajudar.... rsrs


Uma das "pequenas" subidas

Mas o visual continuava lindo e compensando o grau de dificuldade.
O trânsito todo organizado pela Polícia, com uma via inteira separada para os corredores, água  suficiente ao longo de todo o percurso e staffs sempre muito atenciosos.




Finalmente, no km 15 adentramos a zona urbana de Ouro Branco, atingindo a altitude de 1100m e, até chegarmos no clube, foram mais descidas e subidas. Nada de moleza.

Na chegada, a medalha linda da prova nos aguardava e, para os menos friorentos (categoria na qual esta cearense definitivamente não está incluída), banho de piscina.




Não pude esperar pela premiação, pois tive que voltar ao hotel e pegar a estrada para Belo Horizonte.

Parabéns aos organizadores da prova.
Da minha parte,  devo dizer que felizmente não consegui cumprir o maior desafio da corrida: não parar para apreciar a paisagem.
Tanto, que seguem abaixo várias fotos e vídeos.




Vídeo:



https://www.youtube.com/watch?v=0B6tXua3_uQ

Dicas para quem vai:

Hotel: Hotel Verdes Mares http://www.hotelverdesmares.com.br/
Cheguei a fazer reserva para a noite de sábado em Ouro Preto, pensando em ir na manhã de domingo bem cedo para Ouro Branco, já que a distância entre as duas cidades é pequena (32km).
Decidi acertadamente, de última hora, mudar o hotel e fazer reserva em Ouro Branco, dormindo lá no sábado.
A distância é pequena, mas a estrada é sinuosa e escura.



 Mais fotos:

Pracinha da igreja de Ouro Branco com barracas da quermesse para comemorar a festa de Santo Antônio



No ônibus com Rosana e Paulo, corredores de Curitiba




 
Antes da largada, ainda fugindo do frio




Abaixo, Ouro Branco e as chaminés da Gerdau Açominas























Partiu!
































Entrando no asfalto












Foto: ADA7 Marketing


Marco da Estrada Real
















Mais uma subidinha de brinde

Tão íngreme que tive que ser literalmente rebocada pelo braço por um dos organizadores












No alto da serra, as antenas, local de onde partimos


Banho de piscina na chegada no clube

Minas Gerais




Com certeza!!!!!

16 comentários:

Anônimo disse...

Bom dia, Correndo o Mundo Que música é essa? Falo no sentido da beleza de ligação da música com as fotos... Iuruuuuuuuuuuuuuuu show. D+
Djacir

Anônimo disse...

Showzaço! Vou incluí-la na minha lista. Parabéns BJ!!!
Jéfferson

Anônimo disse...

Lindas imagens!!! Beijo
Germana

Anônimo disse...

Muito massa o posto, Lia Campos! Aquele casal correu com um carrinho de bebê mesmo??
Marília

Anônimo disse...

Relato muito show!
Telma

Anônimo disse...

Queria quer feito este percurso, mas não deu. Deve ser lindo...
Sandra

Anônimo disse...

Parabéns, guerreira! Grande experiência! Lindas fotos!
Leila

Anônimo disse...

Que Corrida Show Lia , Bravoo
Pedro Ângelo

Renato de Oliveira disse...

A meia maratona mais bonita de Minas e uma das mais difíceis mesmo. Também não lembro de tantas dores pós corrida como esta...chegando no asfalto foram 3k serra abaixo. Mas valeu d+

Anônimo disse...

Nossa Lia, que bacana!! Obrigada pelo relato tão fiel. As fotos, o vídeo, a descrição de tudo,... adorei. Obrigada por ter vindo. E volta sim, vamos sentir saudades.
Paula Cristina

Anônimo disse...

Nossa Lia, obrigado por ter feito parte,por confiar na gente....ficou maravilhoso o vídeo, as imagens, o seu relato,tudo....uma recordação pra vida inteira!!!
Cleidileni

Anônimo disse...

Parabéns Lia, show
Lorena

Anônimo disse...

Muito bom o seu relato/dicas sobre a corrida Lia Campos.
Rogério

Anônimo disse...

OLá Lia...Tudo bem? Não podia deixar de lhe escrever pois voce conseguiu fazer com que meus olhos enchessem de lágrimas de alegria e satisfação quando li o seu relato sobre a Meia Maratona Estrada Real. Corro há 16 anos e desde que eu comecei a correr sempre tive vontade de fazer uma corrida aqui na cidade que fosse como tantas outras por aí que viraram tradição. Idealizada por mim e realizada pela Selma presidente da ACROB, a Meia Estrada Real surgiu ano passado com inúmeras dificuldade pois não tínhamos 1 centavo sequer e nem apoio da Prefeitura. Este ano já pudemos fazer uma corrida mais bem organizada e estruturada. Tenho agradecido a Deus todos os dias por esta realização pessoal e quero também ti agradecer pela  participação no nosso evento e principalmente pelo seu relato (voce me fez chorar....rs) que está rodando pela internet e ajudando a divulgar as belezas de nossa querida Serra. Obrigado e que Deus possa sempre lhe
abençoar. E queremos que volte para a 3ª edição. Forte abraço
Luiz Gomes

Ah!!!...Até o slogan que eu criei voce citou em seu relato. Como não me sentir feliz?....rs

Lia Campos disse...

Pôxa Luiz, fico realmente muito feliz pelas suas palavras. Eu tenho verdadeiro amor pela corrida de rua e sempre é uma satisfação mt grande participar de provas como a de Ouro Branco, que além de bem organizada, tem um percurso lindo demais. Além disso, sou observadora e, mesmo antes da prova, já com as postagens de vcs na página da corrida, percebi o empenho e dedicação, tudo confirmado com o que presenciei durante a prova. Vcs estão de parabens. Não sou organizadora de corridas mas imagino o trabalhão que deve ser para fazê-las, principalmente a falta de apoio. Espero que essa Meia Maratona cresça e possa ser o sucesso que ela merece. Um resumo do meu relato saiu tb no blog do Rodolfo Lucena, da Folha de São Paulo, vc viu? Pelo que ele me falou, mt provavelmente ano que vem ele estará correndo por aí. E, parabéns pelo slogan! Perfeito ! Eu pelo menos, achei impossível correr sem parar! rsrsr
Lia

Wilkie Martins disse...

Show mesmo! O relato, o vídeo, as fotos...
Parabéns!