sexta-feira, 22 de junho de 2012

De Cusco à Puno e Copacabana, no Lago Titicaca

De Cusco, o próximo destino seria conhecer o Lago Titicaca que tem duas paradas obrigatórias: Puno, no lado peruano e Copacabana, no boliviano.

Os 390km que separam Cusco de Puno podem ser feitos em ônibus, trem ou mesmo de avião, chegando no aeroporto da cidade de Juliaca. Como quase tudo no Peru é muito bem explorado turisticamente, existe uma excursão que faz esse percurso com paradas em locais interessantes, em um excelente ônibus turístico, com saída de Cusco às 7 horas da manhã e chegada na cidade de Puno às 17 horas.
Essa excursão é chamada “Ruta Del Sol”.

Com um excelente guia, o roteiro começou parando na localidade de Andahuaylillas para apreciarmos a igreja conhecida como a “Capela Sistina das Américas”.
Depois, a cidade de Raqchi, com seu templo dedicado a um Deus Inca e logo em seguida, parada para almoço com comidas típicas.


Raqchi



Crianças peruanas tendo aula sobre sua história em Raqchi
Prosseguimos então até a localidade de La Raya, onde atingimos o ponto mais alto do passeio (4335m altitude), com uma bela visão dos Andes e seus picos nevados.




Andes de chegarmos a Puno, ainda paramos em Pukara, onde existe um museu com peças de cerâmica e em pedra.
Sem dúvida alguma a excursão valeu a pena e quando chegamos a Puno, o sol já estava quase se pondo.


Pôr do Sol em Puno com o Lago Titicaca
A 3800 metros de altitude, Puno é uma pequena cidade às margens do Lago Titicaca, com 180 mil habitantes que nos dias de hoje vive muito do turismo.
Na rodoviária fomos abordados por um senhor que acabou sendo nosso “receptivo”, nos indicando hotel, nos vendendo o passeio do dia seguinte, o ônibus para Copacabana e até nos indicando um restaurante, para onde fomos depois de deixar as malas no hotel. 
Apesar de ter muitos turistas, a cidade não fervilha como Cusco. Ali vi um movimento de peruanos pelas ruas. Pessoas simples que no final do dia voltavam do trabalho, da escola.  Os preços também eram MUITO diferentes dos de Cusco. Tudo muito barato. No jantar comemos “trucha”,  peixe bastante apreciado na região, pescado diretamente do lago.


"La Trucha"
Depois de uma noite bastante fria, como é comum em Puno, acordamos cedo para fazer o passeio programado: a visita às Ilhas Uros.
O Lago Titicaca tem cerca de 8300 km² e situa-se a 3821m acima do nível do mar e por isso é considerado o lago comercialmente navegável mais alto do mundo e o segundo em área da América Latina. Reza a lenda que foi nas águas do lago que nasceu a civilização inca.


O Titicaca possui 41 ilhas, das quais 9 são artificiais, feitas com uma planta chamada “totora” e chamadas de Ilhas de Uros. Essas ilhas existem desde a época pré-colombiana.

Ilhas Uros
Quando eu estava pesquisando sobre a viagem, li muitos relatos falando mal dessa parte do passeio. Algumas pessoas acham a visita às ilhas algo teatral, feito pra tirar dinheiro de turista.
Realmente é tudo muito ensaiado. Pegamos uma lancha e partimos para as ilhas “flotantes”, um pouco afastadas de Puno, e, ao desembarcarmos em uma delas, somos recebidos por alguns nativos que nos explicam como as constroem, como vivem nelas e nos mostram suas casas.


É pra turista sim. É de um jeito meio teatral sim. Mas acho que não poderia ser diferente. Eles nos levam em algumas ilhas pra fazer toda essa demonstração ensaiada mas terminamos, de qualquer maneira, em ver como eles vivem.

Os barcos também são feitos de totora

Esse é chamado de "Mercedes"
Achei interessante e achei muito bonito tudo aquilo, apesar da pobreza e extrema simplicidade em que vive aquele povo em casinhas de totora (que também é comestível).
A casa que visitei era bem pequena. Uma sala e um quarto com uma única cama de casal. Nela vivia o casal e 4 crianças. Todos dormiam na mesma cama para se aquecerem no frio.



As crianças ficavam pela ilha tentando puxar conversa com os turistas e mastigando a totora. Tinha um menininho lá aprendendo a andar e achei legal porque ele podia cair à vontade, pois o chão mole de totora não apresentava nenhum perigo. Por outro lado fiquei imaginando o perigo de caírem nas águas frias, uma vez que não existe nenhuma proteção.



Depois da visita às ilhas, voltamos à Puno e ainda tivemos tempo para conhecer sua Plaza de Armas, a Catedral e de almoçarmos para logo em seguida irmos para a rodoviária pegar o ônibus para a cidade de Copacabana, na Bolívia.


Uma comemoração com distribuição de comida que estava acontecendo em frente à Catedral de Puno

150 km separam as duas cidades. Pouco antes de chegarmos à Copacabana temos que descer do ônibus, passar pela alfândega boliviana, fazer todo o trâmite legal de saída de um país e entrada em outro. E assim, depois de menos de 6 meses, lá estava eu de volta à Bolívia.



Chegamos em Copacabana com o pôr do sol e seguimos para um hotel indicado por um rapaz. Por apenas U$ 20 a diária, o hotel foi uma boa surpresa, pois ficava na beira do lago, com uma vista maravilhosa.

Visual do quarto do hotel
O nome "Copacabana" deriva da expressão "Kota Kahuana", do dialeto Aymara e significa "vista do lago". A Copacabana brasileira surgiu no século XIX quando  um grupo de espanhóis levou uma réplica local da imagem de Nossa Senhora de Copacabana ao Rio de Janeiro, onde foi criada uma pequena igreja para abrigá-la, que cresceu e acabou por nomear o atual bairro carioca.
Da Copacabana original propriamente dita, não tivemos tempo de conhecer nada. Ficamos na rua principal que termina no cais, com uma profusão de restaurantes e lojinhas de artesanatos. Acredito que Copacabana há alguns anos deveria ser algo tipo um “roteiro alternativo”. Como Jericoacoara. Muitos turistas jovens de todos os locais do mundo. Bons restaurantes com música ao vivo. De comida mexicana à italiana. Tudo a um preço bem boliviano, ou seja, bem barato. Um lugar delicioso. Se eu soubesse que era daquele jeito, com certeza teria reservado uns dois dias para ficar. Infelizmente não tivemos esse tempo.

Copacabana
Às 8:30 da manhã seguinte pegamos o barco para conhecer as duas principais ilhas do lado boliviano: Isla Del Sol e Isla De La Luna.

Bandeira boliviana e bandeira inca
A exploração turística do jeito que acontece no Peru desaparece totalmente na Bolívia. Nem um “guiazinho” e nem um folder pra nos explicar nada! Cada um por si e tudo pouco explorado.
Saindo de Copacabana o barco dá uma pequena parada na Isla Del Sol onde descem as pessoas que não compraram o passeio com ida à Isla de La Luna. Nós seguimos para lá.
Nessa pequena ilha não tem nada. Quer dizer, tem uma pequena vila no topo da ilha (que não fomos conhecer), tem um nativo que cobra a “entrada”, duas crianças vendendo artesanato, ruínas de um templo inca e uma paisagem, uma PAISAGEM lindíssima! É “só” isso a ilha. Um lago azul rodeado de montanhas nevadas - a Cordilheira Real boliviana. “Só” isso. Lindo!


Ruínas do Templo da Lua



Ficamos uma hora apreciando aquela beleza pra retornar ao barco com destino à primeira parada.
Na Isla Del Sol fica a comunidade Yumani.


Também tem ruínas incas para serem visitadas. Para isso é preciso caminhar morro acima por alguns quilômetros, que naquela altitude são sentidos como muitos. Era hora do almoço e, com toda aquela paisagem pra apreciar, decidimos deixar as ruínas incas pra próxima oportunidade, escolhemos um pequeno restaurante com uma vista maravilhosa para o lago e para a Cordilheira Real e almoçamos truchas com “cerveza”, “assistindo” o movimento ao nosso redor.



Um sofrimento!
Quem quiser também pode dormir naquele paraíso, mas os alojamentos são bastante simples e com certeza deve fazer bastante frio à noite.
Hora de regressar à Copacabana e pegar o ônibus de volta pra Puno. Não sem uma vontade imensa de ficar mais um dia curtindo aquele paraíso.
O ônibus para Puno saiu às 18:30. Ao chegarmos na rodoviária, o jeito foi ficar por lá mesmo e esperar a hora de pegar outro ônibus para nosso próximo destino: Arequipa.



Para quem está pensando em ir:

Excursão “Ruta Del Sol” (de Cusco a Puno) – U$ 35,00 por pessoa + 29 soles de ingresso para visitar as atrações (1 igreja e 2 sítios arqueológicos)

Passeio para as Ilha de Uros em Puno – 30 soles por pessoa.

Ônibus de Puno para Copacabana: 40 soles por pessoa (ida e volta)

Hotel em Copacabana: Hotel Estelar

Passeio de barco para Isla Del Sol e De La Luna : 30 bolivianos ( cerca de R$ 10,00)

27 comentários:

Rita disse...

Olá, Lia!

Vou fazer essa viagem em outubro...

Me ajuda numa coisa? Pra essa "excursão ruta del sol" é fácil de conseguir passagem? tem alguma empresa que você recomenda? onde eu compro a passagem?

obrigada!! :)

Lia Campos disse...

Oi Rita,

a excursão para Puno vc pode encontrar facilmente em Cusco. Sem problema. Em torno da Praça de Armas têm muitas pessoas de agências vendendo e tb nas ruas em torno da praça vc encontrará pequenas agências de turismo que vendem. Pelo que pude perceber, o serviço oferecido é o mesmo. Comprei todos os meus passeios em Cusco sem recomendações e fui bem atendida em todos. A única diferença é o preço. Isso vc precisa regatear. O preço que eu paguei foi um bom preço encontrado. Comprei depois de uma ligeira pesquisa em uma pequena agência em um rua no centro de Cusco.
Espero ter lhe ajudado.
Abs
Lia

Daniel disse...

Olá, Lia!

Tudo bem?

Pretendo fazer esse percurso, saindo de Cusco até Copacabana. Acontece que precisarei voltar para Cusco para pegar o meu avião. Quanto dias você recomenda? Obrigado, Daniel

Lia Campos disse...

Oi Daniel.

Da maneira que fiz é o suficiente, ou seja,1 dia de excursão de Cusco para Puno (dorme em Puno),pela manhã faz o passeio às ilhas flutuante em Puno, pega o ônibus à tarde para Copacabana (dorme em Copacabana), pela manhã pega o passeio pelas ilhas de Copacabana (Ilha do Sol e da Lua), volta no final da tarde e pega o ônibus de volta para Cusco (como não voltei para Cusco, não sei o horário).
Se vc tiver 1 dia a mais, acho que vale a pena ficar em Copacabana, dar outra volta pelas ilhas do lago e conhecer a cidade que é bem agradável, tem um belo visual e muitos bares e restaurantes legais.
Espero ter ajudado.
Abs
Lia

WBraga disse...

Olá Lia!
Eu gostaria de saber que horas você passou pela fronteira. E se sabe o horário de funcionamento da mesma.
Grato.
Abraço!

Lia Campos disse...

Oi W Braga.

Olha a fronteira realmente fecha. Não sei a hora exatama, mas é no final da tarde. Por isso, tanto os ônibus que vão qto os que voltam de Copacabana têm um último horário.
Espero ter ajudado.
Lia

WBraga disse...

Obrigado pelo esclarecimento.

Natalia Sena disse...

Boa Tarde, Lia.

Onde fica o Lago Titicaca?

Acha mesmo necessário pernoitar em Copacabana?

Abs

Lia Campos disse...

Natalia,

o lago Titicaca fica na fronteira do Peru com a Bolivia.
Se vc quiser conhece-lo, deve pernoitar sim em Copacabana. È de là que saem as excursoes para as ilhas. sem contar que Copacabana è um lugar bem legal e bonito, por ser à beira do lago.
Lia

Paula Carvalho disse...

Boa noite Lia,

Vc sabe me dizer se essa excursão é ida e volta? Ou somente a ida para Copacabana?
Pq adorei a dica, mas como tenho pouco tempo, de repente é melhor ficar em Copacabana e de lá voltar ao Brasil...

Obrigada.

Lia Campos disse...

Oi Paula.
Na verdade a excursão sai de Cusco à Puno. De Puno para Copacabana temos que ir de ônibus comuns, o que é bem fácil de providenciar.
Já o percurso inverso (Puno-Cusco), não sei se existe em excursão como a que eu fiz. Mas certeza haver ônibus comum pra isso também.
Abs
Lia

Flávia Napoli disse...

Lia, como ir de Copacabana para La Paz? tem ônibus? trem?

Lia Campos disse...

Olá, Flávia.

Infelizmente não posso lhe informar isso pois não fui a La Paz.
De Copacabana retornei a Puno.
Abs
Lia

Rubiana Alves disse...

Ola, amei suas informações e farei a excursão Ruta de Sol....olha existe a viagem ao contrario sim de Puno para Cusco...veja http://www.inkaexpress.com.pe/
seria bom informar a outra moça que queria saber ne?
Tenha outras boas viagens!!!!!!

Lia Campos disse...

Que bom que gostou, Rubiana.
E mt obrigada pelas dicas.
Abs
Lia

FABIO P. disse...

Olá meu nome é Fábio, gostaria de uma dica, pois eu e minha esposa queremos fazer uma viagem a Arequipa-Peru e dispomos de apenas 5 dias e queremos uma dica: seria possível passar 3 dias completos em Arequipa e fazer um bate e volta ao Cañion del Colca e Puno com o lago Titicaca com Copacabana na Bolívia? Alguém pode nos ajudar com dicas: é mais interessante conhecer Puno com o Lago Titicaca com uma esticada a Copacabana do que o Cañión del Colca? alguém sabe as distâncias e preços? Por favor nos ajudem,

FABIO P. disse...

Olá Lia, parabéns pelo seu Blog, ele está bonito; gostaria de seguir seu Blog, como faço? Eu e minha esposa amamos viajar!

Lia Campos disse...

Oi Fabio.

Bom vc ter gostado do blog. Para segui-lo, basta colocar seu email no local à direita onde se lê "Coloque aqui seu email para receber notícias do blog".

Qto à sua dúvida, se vc só tem 5 dias em Arequipa, tvz fique apertado pra vc ir ao Titicaca. Dê uma olhada nos horários dos ônibus da Cruz Del Sur. Se der, com certeza vale a pena ir, ficar hospedado uma noite em Copacabana e disponibilizar de um dia para o passeio ao lago.
Eu gostei do Canion, mas achei o lago mais bonito.
O passeio pelas ilhas flutuantes em Puno tb é interessante.
Existe sim m passeio de um dia ao Canion, bate/volta. Foi o que eu fiz. Dá uma olhada no meu post.
Boa viagem!
Lia

Anônimo disse...

bom estarei indo dia 30/03/2015 para cusco, puno, copacabana como são os roubos são constantes mesmo?

Lia Campos disse...

Oi.

Não ouvi falar sobre nada de roubo.

Senti-me segura em ambos os lugares e não tive qualquer problema.
Lia

lisandra iwersen disse...

Oi Lia!
Adorei as dicas!
Uma pergunta, tenho uma semana p fazer Cusco/Machu Picchu/ Titicaca, será que vale ir até Puno,não fazer o passeio às ilhas flotanyes e seguir direto p Copacabana?

Lia Campos disse...

Oi Lisandra.

Olha, se você tem tempo e tem Puno no seu roteiro, vá às ilhas sim.
Pode ser um passeio meio "comercial", mas é diferente e interessante.
Eu gostei de fazer e acho válido.
Abs e boa viagem!
Lia

Danilo ughini disse...

Achei ótimas informações.
Obrigado Bia.

Leila Lima Teixeira disse...

Excelente relato. viajei junto. Ótimas informações. E as fotos estão muito lindas. Amei. Obrigada! Beijinhos.

Unknown disse...

Vou para Cusco em Abril, levarei meus pais, pois meu pai tem o sonho de conhecer Machu Picchu. Ficaremos 8 dias e seu roteiro para Puno e Copacabana vão nos ajudar muito. A diferença é que não vamos para Arequipa, voltaremos a Cusco. Saberia me dizer se em Abril faz muito frio? Não sabemos bem que roupas levar.... Parabéns pelo relato, muito explicadinho.... Beijos, Elis

Correndo o Mundo - Lia Campos disse...

Oi Elis.

Seguinte: Cusco e toda aquela região é em altitude, então, apesar deabril não ser a época de inverno, é sempre friozinho por lá.
Mas nada tão extremo.
Casacos leves durante o dia aguentam num clima de 15oC. Já pra noite, um casaco mais quentinho é bom.
Como por lá costumamos caminhar, botas de trilha seriam o ideal.
E não esqueça que abril costuma chover, então é bom estar sempre com capas de chuva à mão.
Boa viagem!
Lia

Vanessa Boari disse...

Olá, muito legal seu texto e as dicas que você compartilhou. Serão de grande ajuda! Parabéns pela viagem e pelo Blog!