sábado, 19 de janeiro de 2013

Música X Corrida X Filhos



Muito se discute sobre o hábito de correr ouvindo música. 

Existe o bloco dos que acham as duas coisas incompatíveis e que não se deve correr ouvindo música porque a corrida seria um horário dedicado a você mesmo e a música atrapalharia esse momento.

Ou então porque ela distrai o corredor, o que poderia ocasionar acidentes. Ou ainda porque, com o som, os corredores não teriam a percepção exata do seu corpo, do seu esforço, do seu modo de correr. 

Já o bloco dos favoráveis à música, do qual eu faço parte, não dispensa o mp3. 

Além de dar um “gás extra”, inclusive tendo sido comprovado cientificamente pelo treinador e pesquisador inglês Costas Karageorghis, um dos maiores especialistas em psicologia do esporte no mundo que demonstrou, em um estudo realizado em 2009 e publicado no Journal of Sport & Exercice Psycology, que a música certa pode fazer você correr mais e melhor — o tempo passa mais rápido, você ganha ritmo, diminui sua percepção de cansaço e melhora o humor --, não acho que correr com música me atrapalhe em nada.

Pelo contrário. Enquanto corro, há os momentos em que, mesmo com o som no meus ouvidos, reflito sobre meu dia, faço planos, tento resolver problemas
Há também os momentos em que me concentro nas músicas e até canto! 







Aliás, lembrei agora de algo que li sobre isso de um corredor.

Ele dizia que tinha dois mp3. Um usado somente para correr e  outro usado sem ser na corrida. O mp3 que ele ouvia sem estar correndo continha músicas totalmente diferentes das que existiam no seu mp3 de corrida.

Muitas músicas que ele escutava enquanto corria seriam  impossíveis de fazer parte da trilha sonora dele “normalmente”, mas,  correndo, o animavam. 

Comigo acontece o mesmo. No meu mp3, além de muitas canções que eu realmente gosto, existem algumas que meus filhos adolescentes adoram e que,  por “osmose” eu também acabo gostando. Por serem animadas, acho bom  ouvi-las nos treinos.

Tem de NX Zero a Michel Teló. Isso mesmo! E por vezes até as escuto mais de uma vez. 

Já outras, apesar de achar lindas, nem pensar em colocar pra correr. Não dá pra correr ouvindo Chico Buarque cantando “Pedaço de Mim” ou Adriana Calcanhoto cantando “Metade”. Com certeza pararia... Incompatível. :)





Pois bem, falei sobre música e corrida. E os filhos? O que eles têm a ver com isso? 

Explico. 

Todos os dias, após meu treino matutino, verifico o estágio da bateria do meu mp3.
Se ainda der pro treino seguinte, ok. Se não der, coloco logo pra carregar. 

Ontem terminei meu treino com a bateria cheia, então fiquei despreocupada.

Hoje pela manhã, acordei cedo pra fazer um longo. 

Nos primeiros 5 minutos de AQUECIMENTO, a música parou. Battery off. Não acredito! Terei que fazer um treino longo sem música?
Quase voltei pra casa.
Conclusão: meu idolatrado filhinho, pegou meu mp3 e o deixou descarregado.
Fiz meu treino. Consegui. Mesmo sem a música pra me impulsionar.

Diálogo ao chegar em casa:
·         Filho, tu sabe que eu adoro e só corro com música, né?
·         Humrum...
·         Pois é, e hoje eu me acordei de madrugada pra começar a correr meu longão bem cedo.
·         Humrum...
·    Pois é, e com 5 minutos, quando eu ainda tava aquecendo, a bateria do mp3 terminou.
·         Mãe, eu só usei durante 5 segundos!

Felizmente o treino foi longo o suficiente para dissipar minha vontade de esganar minha própria cria...

Mas, como sabiamente disse o poeta maranhense Coelho Neto, “Ser mãe é ter um mundo e não ter nada! Ser mãe é padecer num paraíso!”





6 comentários:

Anônimo disse...

kkkk,também já aconteceu isto comigo.
Fernando

Anônimo disse...

Kkkk! Adorei! O texto está ótimo!
Marília

Anônimo disse...

acontece Lia ! Ou melhor acontece seeempre, e com vc é triplicado!
Lúcia

Marcelo Campos disse...

Isso me lembra muito da nossa casa na decada de 80, quando o Papai ou a Mamae iam na geladeira comer o sorvete ou chocolate que tinham comprado no dia anterior. Ao abrir a geladeira era o lugar mais limpo. A famosa "alma" da Roberio Tavora tinha se lambuzado. Fico imaginando ate hoje quem seria essa alma. Hein Lia?

Lia Campos disse...

kkkkkk
Marcelo, se fosse chocolate, com certeza a "alma" atendia pelo nome de Lia.

Anônimo disse...

Eu faria ele ir correndo ao meu lado cantando as músicas na ordem da playlist.
Fábio