domingo, 30 de novembro de 2014

Teresina-PI – 5ª. Meia Maratona do Sertão (23/11/2014)




A etapa do meu “Projeto Conhecendo Correndo as Capitais do Brasil” em Teresina estava marcada para ocorrer somente em 2015 com a prova “GP Teresina”.

Embora eu já tivesse lido a respeito da Meia Maratona do Sertão, achei que correr 21 km no Piauí, com largada às 7h da manhã seria por demais desgastante e decidi esperar mesmo pelos 10 km do GP no próximo ano.

Porém os planos mudaram de rota quando minha amiga Sônia, que mora em Fortaleza mas é teresinense chamou-me para ir correr com ela a desafiante 5ª. Meia Maratona do Sertão.
Passagem comprada, inscrição feita, mas,  depois do meu sofrimento com o sol na meia maratona em Maceió, confesso que quis amarelar e, diante do “terrorismo” de alguns amigos e, principalmente da minha mãe, que após as duas mortes na corrida em Campo Grande, antevendo o famoso calor piauiense provavelmente achou que eu poderia não escapar viva, cogitei a possibilidade de correr os 10km da prova.
Se era pra ser pior do que Maceió, mais quente, percurso cheio de ladeiras, melhor sofrer pouco mesmo....

Não sei se tive sorte, mas a verdade é que nos dias em que permaneci em Teresina, a temperatura estava quente sim, mas nem de longe chegou perto ao que passei em Campo Grande. Aliás, até o calor em Goiânia ganhou.
Bom pra mim que, nesse caso, resolvi fazer os 21 mesmo e encarar minha 31ª. meia maratona e 17ª. capital.


Teresina entre os rios Parnaíba e Poty
 


A prova é uma corrida de corredores para corredores.
Nascida com o objetivo de comemorar o aniversário de um apaixonado por corridas de rua, o evento vem crescendo e nessa 5ª. edição foram abertas 400 vagas.




Entrega do kit com Vera, Sônia e Drica

Considerada bastante difícil por acontecer em novembro, que faz parte dos meses de B R O–BRO, famosos pelo calor na cidade, com um percurso cheio de subidas, largada às 7h (por causa do órgão de trânsito) a prova foi uma surpresa pra mim.

Claro que a maior surpresa foi o calor. Não foi absolutamente nada do que eu esperava que iria encontrar.

Com saída em frente ao Parque Zoobotânico, o percurso segue para os arredores de Teresina, uma zona mais rural e inteiramente sombreada. Até vento eu peguei! Um refresco em comparação à Maceió...



Na largada

Organização nota mil.
O percurso não é isolado para os corredores. Apenas acompanhado por policiais em motos, o que não chega a ser um problema pois são poucos os atletas e também pouco o movimento de carros. Não presenciei nem soube de nenhum incidente.


Começo da prova

Uma das ladeiras

Postos de água gelada a cada 2km, dois postos de isotônico em saquinhos, bons staffs e chegada no sítio do mesmo aniversariante idealizador da corrida, com direito a banho de piscina, frutas, massagem, premiação por categoria de 5/5 anos com bonitos troféus e sorteio de prêmios no final


Minha 31a. meia maratona e 17a. capital

Uma festa de corredores.

Como a corrida parte de um ponto e chega a outro, a organização disponibiliza um ônibus para levar os atletas de volta ao ponto de partida. Esse é o único ponto negativo porque quem estava dependendo do ônibus teve que esperar muito tempo para voltar, uma vez que a premiação foi demorada.

Eu felizmente não tive esse contratempo porque fui de carro com a família da Sônia e dessa vez não tive qualquer problema de “passamento” depois dos 21km. Tirei de letra o temido calor de Teresina, as 18 ou 19 ladeiras do percurso, terminei feliz da vida e me sentindo muito bem.


Voltamos com três troféus para Fortaleza, com Sônia, Nascimento e Vanderli no pódio

Quanto à cidade, que apesar de ser vizinha à Fortaleza eu não conhecia, também foi uma agradável surpresa.

Ciceroneada pela minha amiga, não poderia ter um guia mais eficiente e passeamos bastante por aquela que é única capital nordestina que não fica à beira mar e tem o nome em homenagem à imperatriz Teresa Cristina Maria de Bourbon (Teresa + Cristina), que teria intermediado junto a D. Pedro II, a mudança da capital do estado, que antes era a cidade de Oeiras.

Andamos pelo centro, pelo centro de artesanato, pelas margens dos dois rios que envolvem Teresina, o Parnaíba e o Poty, conheci o Parque Potycabana, almocei um delicioso capote no restaurante Favorito e, depois da corrida fui ver o encontro dos rios e almoçar um peixe com pirão no restaurante Flutuante, que tem uma bonita vista à beira dos dois rios.


Parque Potycabana

Só não bebi "in loco" a famosa cajuína, imortalizada na música que Caetano Veloso fez em homenagem ao poeta teresinense Torquato Neto.

Quero agradecer à Sônia, que foi nota mil, à Vera, sua irmã e toda a família, que me recebeu tão bem.

E parabéns aos organizadores e a todos os corredores que participaram da Meia Maratona do Sertão.

Valeu Teresina!





Dicas para quem for: 

Por conta de um engano meu, fiquei em dois hotéis, o Ibis e o Luxor. Ambos são bons e ficam no centro da cidade.

Não deixe de ir no restaurante Favorito. Se não gostar de capote, existem outros pratos, como carne de sol.


Mais fotos:


Lapinha



Av Antonino Freire, a menor avenida do mundo, com apenas dois quarteirões


Preguiça gigante no centro de artesanato



Ponte Estaiada e seu mirante




Mais uma ladeira na prova











Chegando






Medalhada, com Vera e Sônia


Party time






Com Kika, arrochando na melancia

Equipe solo Correndo o Mundo e Contabilista chamadas para entregar uma das premiações


O idealizador da prova


A transada decoração do restaurante Favorito e o delicioso capote




Eu, Sônia, Wilkie e um brinde à Teresina




Restaurante Flutuante no encontro dos rios


Do restaurante dá pra ver o encontro das águas do rio Poty e o Parnaíba


Rio Parnaíba









4 comentários:

Anônimo disse...

Lia, nós que agradecemos sua presença no evento, onde é realizado a única meia maratona do Piauí. Esperamos o seu retorno em 2015.
Ghepards Instinto Corredor

Anônimo disse...

Lia muito bacana como voce descreveu a 5 Meia Maratona do Sertão. Muito obrigada. bjm
Isabel

Wilkie Martins disse...

Belo relato! Parabéns pela 31ª "meia" e pela 17ª capital...

Anônimo disse...

Lia, nós é que agradecemos a honra de tê-los recebido em Teresina.
Valeu!!
Sônia