terça-feira, 1 de março de 2016

Desafio Cross Run Terra na Veia (28/2/2016)

Eu já havia feito provas cross. Curtinhas. Ou então  mescladas, parte em asfalto, parte cross.
Por preferência, sou corredora de asfalto mesmo e, nesses 12 anos de corrida, tenho assistido de longe o crescimento de provas cross, com muitos amigos migrando da cidade para os matos. Incrível como tem realmente aumentado o número de provas assim Brasil afora.
Tenho permanecido no meu asfalto. Trilha e mato? Adoro, mas pra passear, caminhar. Não pra correr.
Mas ....

Para abrir o calendário de 2016 com a minha distância preferida, os 21km, surgiu logo uma cross no caminho e, depois de pensar muito, decidi encarar. Seria minha 41ª. meia maratona,  a primeira de 2016, uma corrida nova e ainda por cima em Fortaleza (ou quase, já que Maranguape é bem aqui pertinho...).

Realizado no Terra na Veia, antiga fazenda da Cachaça Colonial, em Maranguape, local com trilhas para os amantes da prática de mountain bike e cada vez mais utilizado para treino de corredores, o 1º. Desafio Cross Run Terra na Veia contou com revezamento dupla e quarteto, além dos 21km solo. Idealizado pelo Mano Silva, rapidinho teve suas inscrições esgotadas e estreou com pouco mais de 300 atletas.







A largada atrasou uns 15 minutos e logo depois das 7 horas partimos. De inicio a turma solo masculina/feminina e depois  a turma do revezamento.

O primeiro km, de trilha bem estreita, ficou meio confuso com os corredores mais rápidos e competitivos do revezamento vindo de trás procurando espaço para  ultrapassar quem estava na frente. Cheguei a pensar que toda volta seria daquele jeito, naquela afobação de afastar para dar passagem, correndo o risco de uma batida ou queda na trilha. Mas não. Depois os corredores foram ficando mais espaçados uns dos outros e a coisa fluiu melhor.

O percurso? Tinha pedra, areia, ladeira, descida, água, ponte, lama.... Só não tinha asfalto!




Confesso que na minha primeira volta, praticamente mais andando do que correndo, de tanto medo que eu estava de cair, disse pra mim mesma que faria somente mais a segunda volta pra tirar fotos e pararia. Já tinha visto como era e não me empolguei muito em continuar.... Tá bom! Melhor parar e evitar uma queda! Rsrsrs

Mas aí fui conversando com um, com outro, conheci uma dupla que estava estreando nos 21km, fiquei ao lado da Dany e da Germana que vinham de uma virose e estavam esforçando-se pra terminar aquela prova e, ao fechar a segunda volta com essa turma, decidi continuar. Vou terminar meus 21km sim.
E assim eu segui. Sem pressa, com cuidado, tirando fotos, filmando e conversando.

Pra quem cai com facilidade tropeçando na própria sombra, consegui com louvor evitar todas as raízes, galhos, ladeiras, descidas e até (na terceira volta) aprendi que em uma subida bem íngreme era melhor subir correndo de uma vez, do contrário meus tênis de asfalto me fariam escorregar....

Escapei do mais difícil pra cair em frente às tendas das assessorias, quando meus pés engancharam-se em um daqueles barbantes usados para amarrar algo e que foi deixado no meio da grama. Caí devagarzinho porque foi bem na hora em que eu estava parando pra tirar uma foto. Menos mal. Também eu não podia passar pelos meus primeiros 21km cross sem levar uma queda!


Momento exato do pre queda. Flagrante do Arnoldo

Na minha opinião, o único ponto negativo da prova foi o circuito em voltas. Para quem corre a meia maratona, dar 4 voltas não deixa de ser monótono, apesar de toda a dificuldade e diversidade do percurso. Mas, tendo sido a prova pensada para a festa e entrosamento do revezamento, as voltas foram perfeitamente justificáveis.
No restante, não enxerguei nenhuma falha considerável. O local era fechado para os participantes inscritos e seus convidados, a hidratação em 2 postos estava perfeita, a trilha bem sinalizada, staffs nos pontos onde poderíamos nos perder, camiseta e medalha bonitas.

A premiação foi somente para os três primeiros colocados em cada modalidade, o que, também na minha opinião, acabou sendo bem pensado pois se tivesse a premiação por categoria, a disputa seria maior, causando mais empurra empurra empurra nas trilhas o que, a meu ver, não deveria ser o objetivo da prova.

O Desafio Cross Run foi sim um grande divertimento, um maravilhoso encontro entre os amantes das corridas, corredores dos matos ou de asfalto.

Parabéns ao Mano, parabéns aos apoiadores, como o Plauto Holanda, amante de corridas em trilhas e montanhas e parabéns a todos que participaram abrilhantando o evento.
Que fique no calendário para os próximos anos!




Mais fotos e um vídeo de momentos da prova:









Entrega do kit na Nutriente







Plauto Holanda falando sobre a prova

Com o queniano Daniel Carneiro














Apoio fundamental e muito bem vindo para ajudar em uma subida




















































Turma me fazendo inveja nas duas últimas voltas







Com André Menezes


Mais uma. A 41a.



Com Júnior e Arleíse, amigos de Canindé



















Com Dany Sipriano







10 comentários:

Wilkie Martins disse...

Parabéns pela 41ª, pelo post, pelas fotos, pelo vídeo, pela música... Blz!

Anônimo disse...

Mais uma vez...obrigada por sua força, Lia ...foi fundamental pra eu concluir... Show
Dany

Anônimo disse...

Bom dia, não tirei foto da queda, pois uma dama não pode ser fotografada daquele jeito. Kkkkk
Arnoldo

Anônimo disse...

Bom Lia Campos minha estreia não podia ter sido melhor!
Ao lado desse icone das corridas!!!
Até a proxima.
Emanuel

Anônimo disse...

Muito bom!
Marília

Anônimo disse...

Lia, me perdoe em discordar, a corrida não foi boa, a corrida foi phodastica !!!!!! A melhor de todas que já participei
Márcio

Anônimo disse...

Sensacional, Parabéns Lia e vc foi guerreira o nível das trilhas estava pedreira. !!
Pedro Ângelo

Anônimo disse...

Lia sempre retratando o melhor relato e visão com a alma de uma corredora onde a bagagem é grande nesse mundão à fora
Paulo Bandeira

Anônimo disse...

Show! Parabéns pela 41!
Telma

Anônimo disse...

Acabei de assistir ao vídeo que você publicou no seu blog, já tinha lido a sua avaliação da prova.
Ficou muito legal
sublime, me senti acarinhado. Muito obrigado
Mano