terça-feira, 15 de agosto de 2017

João Pessoa, a porta do sol da América (agosto 2017)


Este post ficará em dívida e com a promessa feita de que um dia será atualizado, não somente porque não tive tempo de conhecer praticamente nada de João Pessoa, como a vontade de voltar e a curiosidade de conhecer a cidade e suas praias fincaram raízes no coração



João Pessoa, ou Jampa, já foi chamada de Frederikstad. Isso na época que a Paraíba era dominada pelos holandeses, lá pelo ano de 1634. Depois disso, com a saída dos estrangeiros, seu nome passou a ser “Parayhba do Norte", até que, em 1930, ganhou o nome atual, em homenagem ao político paraibano assassinado, que concorria como candidato a vice presidente do Brasil, na chapa com Getúlio Vargas.
Comparada a Fortaleza, a terra de Ariano Suassuna parece que nos leva a uma volta ao tempo.
Cidade pequena, com uma orla sem edifícios altos, ruas sem engarrafamentos homéricos, "aparentemente" tranquila (embora eu tenha ouvido falar da violência, praga presente até nas menores cidades do nosso país...).

Apesar de possuir um patrimônio histórico comparável ao da pernambucana Olinda, Jampa é procurada pelos turistas mesmo é por suas praias, que são muitas, embora o famoso por do sol na Praia do Jacaré ao som do Bolero de Ravel tocado há mais de 10 anos pelo saxofonista Jurandy sobre uma jangada flutuando no Rio Paraíba, seja no município de Cabedelo, que de tão juntinho da capital, parece uma coisa só.

Nosso fim de semana começou por Recife, já que os voos que partem de Fortaleza para a capital paraibana fazem uma volta grande até o sudeste para depois regressar.
Mais fácil ir até Recife e rodar de carro os 120km que separam as duas capitais nordestinas, ainda mais quando se aproveita a parada para visitar primos e amigos queridos e pegar a estrada com todos, rumo à “porta do sol”, o ponto mais oriental da América, onde o sol nasce primeiro, na Ponta do Seixas.

Com tantos atrativos, pouco mais de 24 horas foi tempo suficiente somente para observar a cidade de dentro do carro no trajeto para pegar o kit da corrida, pra almoçar e para voltar no domingo de manhã pra correr.
 






O único passeio turístico foi o por do sol na Praia do Jacaré, onde chegamos já com os últimos acordes do Bolero de Ravel enquanto o sol caía devagar sobre as águas do rio Paraíba.
Mesmo chegando no final do espetáculo principal, o local, bastante animado com turistas, várias lojinhas de artesanatos, outros palcos com músicos se apresentando e pequenos quiosques para lanches como tapioca, vale demais pelo passeio. Animação contagiante.
Pena que não pude me demorar, pensando no descanso para encarar os 21km do dia seguinte




Video do movimento na Praia do Jacaré ao som de Alceu Valença:
  https://www.youtube.com/watch?v=Q8Fsmy9e9B8 


E ao som do violino:
  https://www.youtube.com/watch?v=iZSHwW8f8jI 


😗😗😗

Meia maratona feita (minha última capital nordestina do Projeto Conhecendo Correndo as Capitais do Brasil), hora de voltar pra casa, com uma despedida animada em Recife, à base de cozido de bode, joelho de porco e muita conversa.

Valeu João Pessoa!
Claro que voltarei um dia! 


Final do passeio com essa turma muito shoooow!!!


Veja como foi a 16a Meia Maratona Cidade de João Pessoa: http://www.correndoomundo.com.br/2017/08/16a-meia-maratona-cidade-de-joao-pessoa.html


Dicas pra quem vai:

Por do Sol na Praia do Jacaré: existem barcos que saem a partir das 16 horas para que os turistas possam assistir ao por do sol e ver o número do saxofonista Jurandy. À bordo, animação à base de forró.

Restaurantes:
almoçamos no Gulliver Mar, que fica na Praia de Cabo Branco, já na Ponta do Seixas, com uma vista muito bonita da cidade. Bom restaurante a la carte, com uma excelente e muito bem servida moqueca de peixe com camarão e lagosta.
Já para quem gosta de comidas típicas e regionais, a indicação é o Mangai (que conheci e adorei, não em JP, mas em Brasília, onde tem uma filial)


Moqueca



Mais fotos:


Começando o fds em Recife

Uma varanda, uma rede e o mar. Preciso de mais nada nessa vida....

Tranquilidade da Praia de Intermares, em Cabedelo



Pensando nos 21km do dia seguinte

De Cabedelo, a visão de João Pessoa ao longe

Sábado de praia em Jampa



Vista do restaurante Gulliver Mar



Turistas na Praia do Jacaré



Animação continua depois do por do sol









Por do sol na Praia do Jacaré


Nascer do sol na "Porta do Sol"






Nenhum comentário: