quarta-feira, 29 de agosto de 2018

Maratona Internacional de Assunção - MIA 2018 - Paraguai (26/8/2018)




Opção de 42km na América do Sul, a Maratona Internacional de Assunção é uma prova para quem já fez as “usuais”, como Argentina e Chile, e de quebra quer aproveitar para conhecer mais uma capital do nosso continente. Além da maratona, existe a opção dos percursos de 21km e 10km.


Tá certo que não é uma corrida muito procurada por estrangeiros. Quando eu estava na sala de embarque do aeroporto de São Paulo, comecei a notar alguns corredores (facilmente reconhecidos por quem é do métier, seja pelas camisetas, tênis, relógio ou tipo físico) que também aguardavam pelo seu voo e pensei "Puxa, então essa prova em Assunção não é tão desconhecida assim.... Até que vai muita gente do Brasil...". Meu espanto só durou até o momento  em que começaram a chamar para o embarque no portão ao lado e os corredores prontamente postaram-se na fila. Era o embarque pra Argentina e então descobri que no mesmo domingo seria a Meia Maratona de Buenos Aires! 😂😂😂😂 


Em todo caso, a prova teve 300 atletas finalistas nos 42km, 540 nos 21km e 760 nos 10km. Alguns brasileiros e com certeza uma única cearense. heheheh


A entrega do kit foi no Shopping Del Sol, situado mais afastado do centro histórico da cidade.





Em agosto, o clima de Assunção pode mudar de uma hora pra outra e pode sim ficar muito quente. Em razão disso, para evitar surpresas desagradáveis, a largada dos 42 e 21km foi colocada para às 5:30h da manhã, ainda escuro, enquanto a dos dos 10km, às 6:30h.


Meu hotel estava situado a uns 2km da Costanera, o calçadão em frente à Baía de Assunção, local da largada.

Pensando que já haveria movimento àquela hora da madrugada, com interdição das ruas (a prova iria passar em frente ao meu hotel!), não pedi taxi com antecedência e resolvi ir andando. Como eu era a única no hotel que iria correr, ao sair à rua sozinha às 4:40h da manhã, vi que estava tudo deserto e escuro. A madrugada estava fria, por volta de 7/8oC e, depois de alguns minutos de dúvida, decidi sair correndo desembestada, não sei se mais pelo frio ou se pelo medo, só respirando aliviada quando, já perto da largada avistei alguns staffs. Foi teeenso!


Como sempre, resisti até poucos minutos antes da largada para deixar minhas roupas no guarda volumes, me juntar aos atletas e escutar o hino do Paraguai.

Escuridão na largada

Largada dada pontualmente, o sol foi nascendo muito devagar e o clima permaneceu friinho, alcançando no máximo uns 15oC. Tivemos muita sorte. 


Indo e voltando pela Costanera, margeando o Rio Paraguai, e depois adentrando pela região do porto e centro da cidade, o percurso foi sempre plano, com exceção de uns 2km entre os 16 e 18, que havia umas subidas. Água e isotônico suficientes durante toda a prova, porém, não havia comida ou gel, a não ser que tenham colocado depois das 2 horas de prova, para os maratonistas que tinham que dar duas voltas no percurso de 21km, completamente fechado para os corredores.

Passando em frente ao Palácio Los Lopes, sede do Governo Paraguaio

Final de prova, bandinha com samba, água, banana, isotônico e uma bela medalha, além de muitos quiosques com distribuição de brindes.

E assim foi a 9a Maratón Internacional de Asunción 2018, minha 64a meia maratona.


Valeu, Paraguai!





Veja mais sobre Assunção: (próximo blog)



Dicas para quem vai:



Hotel: não recomendo meu hotel por ter ficado um pouco distante do centro e, se você for pra correr ou mesmo turistar, a recomendação é que fique no centro, o mais próximo possível do Panteón Nacional de los Heroes. Próximo da largada/chegada da corrida e ao redor dos pontos turísticos da cidade.



Câmbio: a moeda local é o guarani (Gs) mas eles aceitam o dólar. Porém, em coisas de pouco valor, tem que ser com o guarani mesmo. Portanto, se você for pegar ônibus no aeroporto, troque logo alguns reais, mas não o faça na casa de câmbio que tem ainda dentro do desembarque (valor muito baixo). Já no saguão do aeroporto, procure pela casa de câmbio Chaco . A cotação é quase igual a do centro da cidade, onde você também pode procurar a mesma casa, que é a mais conhecida.



Saindo do Aeroporto: o aeroporto na verdade fica na cidade vizinha, chamada Luque, a uns 13km do centro de Assunção. O táxi cobra U$ 20 para o centro (sim, eles aceitam em dólar, real ou guarani).

Já o ônibus (logo ao sair do aeroporto, a parada fica a uns 100m de caminhada à direita) é bem mais barato: o normal, 2200 guaranis e o com ar condicionado, 3600 guaranis, o que, no câmbio de 2018 dava R$ 1,60, R$ 2,60 respectivamente. O ônibus que se pega para ir para o centro de Assunção é o de No 30, mas é bom se certificar com o motorista, que por sinal eu não achei lá muito simpáticos e disponíveis para dar informações..... A dica é baixar o mapa da cidade no Google Maps com antecedência, ir acompanhando o trajeto feito e descer quando estiver perto do seu hotel, no centro. Foi o que eu fiz na ida e na volta. E deu certo!








Mais Fotos:

Entrega dos kits no shopping


Concentração na largada



Já voltando pela Costanera

Os corredores de 10km passando ao lado


Em frente ao palácio


E nos metros finais, passando por trás do palácio










Um comentário:

Anônimo disse...

Parabéns menina! Essa corrida é mto massa. Super organizada. Mas claro, ela é organizada por uma corredora.(acho q ainda é). Myrta Doldan, gente de boa qualidade. Saudades! Bjus Lia Campos.
Marinês