terça-feira, 20 de março de 2012

29a. Corrida Cidade de Aracaju - 17/03/2012

A Corrida Cidade de Aracaju acontece anualmente no dia 17 de março, seja um domingo ou uma segunda feira.  É o dia do aniversário de Aracaju. O dia em que, há exatos 157 anos, a capital de Sergipe foi transferida da cidade de São Cristóvão para Aracaju e é em razão dessa mudança que a corrida tem largada na antiga capital e chegada na atual.
Apesar de ter muito corredor de outros estados, a prova, que está na sua 29ª. edição e é organizada pela Prefeitura de Aracaju, é claramente voltada para os sergipanos.
Nada mais justo, uma vez que a festa é deles.  Pra começar, sergipano não paga inscrição. A premiação também valoriza os da terra: prêmio em dinheiro para os 10 primeiros colocados de Sergipe, assim como para os 5 primeiros funcionários públicos de Aracaju e  para o sergipano mais idoso da prova (todos para o masculino e feminino).

No sábado de manhã, eu, meus filhos e Wilkie alugamos um carro e saímos para pegar meu kit em um clube, já perto do centro da cidade. Ao chegarmos ao local, estava acontecendo uma cerimônia com as autoridades de Sergipe, dando início às comemorações do aniversário da cidade. 
No clube, foi fácil pegar meu kit, apesar de ouvir de um corredor baiano que algumas pessoas que fizeram a inscrição pela internet tiveram problemas devido ao fato de seu nome não constar da lista.




Peguei meu número, a camisa (de má qualidade) e meu chip descartável. Depois disso partimos pra São Cristóvão.
A cidade fica a 25km de Aracaju, a distância da corrida. Para esse trajeto de ida, a organização disponibiliza ônibus para os atletas, saindo da pracinha de onde retiramos os kits
São Cristóvão é a 4ª. cidade mais antiga do Brasil (fundada em 1590). Tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, a cidade é lindinha. Estilo colonial, recheada de igrejas barrocas.

Igreja de São Francisco e praça principal de São Cristóvão
Infelizmente era feriado municipal e os museus que lá existem, de arte sacra e inclusive um  com objetos do grupo de Lampião e ossos de Maria Bonita (a região foi palco do cangaço), fecharam 1 hora da tarde. Como chegamos à cidade na hora do almoço, depois de darmos uma volta, fomos almoçar no restaurante do Rui Lealdo, bastante simpático que até DVD da história da cidade colocou para assistirmos.
Depois do almoço fomos pra praça da matriz, de onde seria a largada e que já estava cheia de corredores. Cerca de 800 participaram da prova deste ano.
Enquanto esperávamos, ficamos na Casa da Queijada, saboreando a famosa queijadinha da cidade (delícia!).


Eu e meus torcedores aguardando a largada enquanto comíamos queijadinha e observávamos o movimento dos corredores 

O calor era grande. Sol forte e abafado e às 16 horas em ponto foi dada a largada.


E foi dada a largada!
Os primeiros 2km são feitos dentro da cidade, em ruas de paralelepípedo. A população inteira fica nas ruas torcendo e aplaudindo. Aliás, a torcida em quase todo o percurso da prova é algo de chamar atenção. Muitas famílias, muitas crianças. Tanto na zona rural quanto já dentro de Aracaju a população comparece para torcer e animar os corredores. Torcida parecida eu só tinha visto na São Silvestre. Muito legal mesmo.
O percurso da prova é um capítulo à parte.  A região é toda montanhosa, então, os primeiros 12km são todos de subidas e descidas bem difíceis. Segundo um blog que li, são exatas 17 subidas. Não tive ânimo de conferir a contagem, mas que são muitas, isso é verdade! Felizmente sopra um vento pra aplacar o calor e o visual verde, o cheiro da natureza, os pastos ao longo do percurso são de encher os olhos e diminuir o cansaço.
Depois de 12 km bastante sofríveis, o sobe/desce termina e passamos a correr no plano.
Todo o percurso, TODO mesmo, é interditado para os corredores. A partir do momento que entramos em  Aracaju a polícia foi eficientíssima parando o trânsito nos cruzamentos sempre que um corredor estivesse passando. Nisso eles foram perfeitos. Mas infelizmente pecaram em um ponto que não existe perdão, principalmente em prova que acontece no Nordeste: a falta de água.
Com postos de água a cada 3km, o último em que peguei água foi o do km 12. Os outros não tinham nem uma gota. Absurdo dos absurdos numa prova tão longa e difícil. A reclamação foi geral.
Mas eu cheguei em Aracaju, enfrentei a última subida no km 19 (previamente alertada da dificuldade da mesma pelo meu amigo Humberto, um entusiasta dessa prova),  esqueci a falta de água e estava só alegria!
Na chegada, kit alimentação com frutas e sanduíche e escoteiros distribuindo a medalha (fraquinha...).



A premiação da prova é de alto nível (como diz meu amigo Duda). Prêmio em dinheiro para os 10 primeiros lugares e para os 5 primeiros de cada faixa etária. Isso faz com que a corrida tenha um nível muito alto. Bastante competitiva.
O (a) campeão(ã) leva pra casa R$ 6300,00. Esse ano dois quenianos participaram da prova, um homem e uma mulher. Não deu outra: primeiro lugar para ambos. Feminino, PASCALIA KIPCOECH com 1:28h (vencedora da meia de SP esse ano) e  STANLEY COECH no masculino  com 1:17h.

Campeões 
Campeãs 
 O prefeito de Aracaju entregou os prêmios aos campeões e a festa de aniversário da cidade iria continuar com show de Zezé de Camargo e Luciano e Capital Inicial, enquanto minha comemoração foi jantar na bela orla de Aracaju e dormir para fazer o passeio ao Cânion do Xingó no dia seguinte.
Corrida aprovada e recomendada para quem gosta de provas difíceis e diferentes, além de poder passear pela cidade agradabilíssima que é Aracaju.


5 comentários:

Marcelo Campos disse...

Minha maninha, 13 Km no sol do Nordeste subindo e descendo ladeira sem água, é coisa mesmo só pra cangaceira que nem vc e Maria Bonita.
Parabéns mais uma vez.

To interessado pra saber mais sobre o cânon do Xingó.

Bjao

Lia Campos disse...

Marcelo,

foi de lascar mesmo. Ainda bem que a essa altura o sol já tava brando.
Sobre o Canion, aguarde o próximo post.
bjao
sua irmã

Wilkie Martins disse...

Adorei ter participado dessa emoção.
Parabéns, foi show mesmo!

Anônimo disse...

Massa, Lia! Mais uma vez, arrasou na corrida no relato sobre a mesma. Agora, perder o show do Zezé e do Luciano é uma falta grave!!!!!

Marília Aguiar

Anônimo disse...

Ei Lia, fico feliz por vc está em todas, até na minha terra natal, beijos e parabéns pela determinação!!!!
Carine