domingo, 24 de junho de 2018

Meia Maratona Douro Vinhateiro - Peso da Régua/Portugal (27/5/2018)



A Mais bela Corrida do Mundo.
É assim que se autoclassifica a EDP Meia Maratona Douro Vinhateiro, cuja 13ª edição ocorreu em 27 de maio deste ano na região de Portugal conhecida como Douro, serpenteada pelo rio do mesmo nome, que corre entre encostas cobertas por parreiras responsáveis pelo seu artista principal: o vinho.
Se a prova é a mais bela do mundo, eu não sei, vai depender do olhar de cada um. Pra mim, difícil encontrar uma que rivalize com a Meia Maratona do Glaciar, mas claro que a do Douro tem sim um percurso belíssimo, contando além disso com uma excelente organização.
A corrida faz parte de uma série de Meias Maratonas organizadas pela Running Wonders, um circuito  que ocorre em lugares classificados pela UNESCO como Patrimônios Mundiais.
São seis as cidades das provas do circuito: Peso da Régua (EDP Meia Maratona do Douro Vinhateiro), Guimarães (EDP Meia Maratona de Guimarães), Sintra (EDP Meia Maratona de Sintra), Coimbra (EDP Meia Maratona de Coimbra), Évora (EDP Distribuição Meia Maratona de Évora) e Viseu (EDP Meia Maratona do Dão - a única das cidades que não entra na classificação da UNESCO). 
A Meia do Douro teve a participação de 2300 corredores nos 21km, 150 nos 6km e mais um grande número de pessoas na caminhada. É uma prova que vem crescendo a cada ano e a cidade, Peso da Régua,  “incorpora” o evento. Quase todas as vitrines de lojas, profissionais liberais, supermercados, cabeleireiros, restaurantes continham uma camiseta alusiva à corrida, forma de dizer que apoiavam e incentivavam o evento.

Vitrines de lojas pela cidade
A entrega do kit foi dividida em duas etapas. A primeira, somente para pegar o número de peito, era feita dentro das instalações do Museu do Douro, belíssimo local que conta a história das vinhas do Douro.


Com o número de peito nas mãos, fomos para o cais da Régua, onde barracas de artigos esportivos, comidas e vinho (claro!) estavam armadas e onde pegamos nossa camiseta da corrida e, de brinde DUAS  garrafas de vinho: um tinto e um do Porto (ambos de excelente qualidade, diga-se de passagem).


Vinhos no kit!!!
A largada da prova, às 10:30h do domingo foi na Barragem de Bagaúste, para a qual os atletas dos 21 e 6km foram de trem ou de ônibus (exclusivos para os corredores), previamente agendados na hora de inscrição junto à organização. Eu e Neide escolhemos ir no trem de 8:41h, que partiu lotado.

Com Neide no trem
Na barragem o sol estava forte e a temperatura rondava em torno de 22oC, mantendo-se assim por todo o percurso.



Às 10:30h foi dada a largada dos 21km de cadeiras de rodas e, logo após, a geral dos 21km, seguindo todos em direção oposta à cidade, para depois voltarmos a ela, enquanto  os corredores dos 6km largaram depois de nós, da mesma barragem, mas já em direção à Peso da Régua.
Parênteses para dizer que esse percurso é pela estrada que liga a cidade de Pinhão à Régua, chamada EN222 e considerada por especialistas a melhor estrada do mundo para dirigir. Não dirigi, mas corri! 😃

Beirando o Douro
Todo o percurso é beirando o Rio Douro, plano ou com suaves descidas (muitas descidas). Na minha opinião  a organização não errou em nada. Percurso completo para nós, água a cada 2,5km, isotônico, red bull e barrinhas de proteína em alguns postos, ambulância sempre passando.

Foto da organização da prova
Uma trupe de artistas vestidos de freiras e padre animaram os corredores em determinado km que não lembro qual. Pensei que fossem mesmo religiosos mas só na volta observei que a música que cantavam não era lá muito cristã.... hahaha


Depois de passarmos a ponte que dá acesso ao centro da Régua, já no km20, um posto com vinho (! 🍷) e na chegada, frutas, barrinhas, chuveiros, e cerveja, muuuita cerveja Super Bock, da clara e da escura, era distribuída à vontade para os corredores, que por sinal nem se interessaram muito, fazendo com que nós (os brasileiros) tomássemos posse das duas barraquinhas 😃😄🍺


Eu, Neide, Pascale e Carlos Henrique monopolizando o quiosque da Super Bock 😀

Enfim, melhor impossível. A prova foi perfeita!!!


Dicas para quem vai:

Onde se hospedar: eu me hospedei na Régua, através do Airbnb, num excelente local, quarto privado com banheiro, em frente ao rio, ao lado da entrega do kit, da chegada da prova e a 500m da estação de trem/ônibus. Perfeito para quem não tem carro. O dono dos apartamentos é o Antônio e no Airbnb está como Douro X1 (Casa do Rio 1), mas tem o link dele também pois além dos quartos na cidade, ele possui uma "Quinta" também com hospedagem: https://dourox1.com/
No centro da cidade, existem poucas opções de hotel, mas há as hospedagens nas “quintas” que ficam localizadas na região. A Neide ficou em uma  a 3km do centro, com uma belíssima vista. O ruim é depender de taxi, pois o acesso é subindo.
Sobre a região do Douro e Peso da Régua, ver o post: http://www.correndoomundo.com.br/2018/06/peso-da-regua-o-dentro-da-bela-regiao.html


Veja mais sobre Portugal: Braga e Guimarães, duas verdadeiras jóias do início de Portugal
                                            Lisboa e Óbidos
                                            Portugal e Espanha no Aniversário da Matriarca
                                            Vodafone Meia Maratona RTP Rock’ n’ Roll de Lisboa


Mais fotos:


Museu do Douro. Local de entrega do número do peito



Abaixo, as tendas da feira da prova
Vinho do Porto no kit


Vitrines de lojas pela cidade



Estação de comboios



Barragem de Bagaúste, local da largada

Banheiro de homens X banheiro de mulheres
Aquecimento




Largamos!



O trem do Douro láááá ao fundo

Novamente pela barragem

Chegando ao centro da cidade


A ponte de pedestres da cidade

Da ponte, a visão de Peso da Régua

A visão das três pontes da Régua



km 20 e o posto de vinho
Chegada e o posto de cerveja!






Um comentário:

Anônimo disse...

Já tem data para o próximo ano, Lia?
Davi